Início » Internacional » Quais seriam as consequências de um empate entre Obama e Romney?
eleições nos EUA

Quais seriam as consequências de um empate entre Obama e Romney?

Empate na votação dos colégios eleitorais poderia gerar um governo Romney-Biden

Quais seriam as consequências de um empate entre Obama e Romney?
Barack Obama e Mitt Romney seguem empatados nas pesquisas (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Barack Obama e Mitt Romney cruzaram os Estados Unidos durante a campanha presidencial em busca de apoio em estados considerados essenciais para as eleições. Apesar de ambos os candidatos demonstrarem otimismo na véspera da eleição de terça-feira, 6, pesquisas apontam um empate entre o candidato republicano e o democrata.

Mas o que aconteceria caso as eleições dos Estados Unidos realmente terminassem em empate na votação dos colégios eleitorais? As chances são mínimas, mas na próxima quarta-feira, 7, os EUA poderiam acordar com a notícia de que Romney e Obama obtiveram 269 votos cada nos colégios eleitorais, um a menos do que o necessário para consagrar um candidato presidente dos EUA.

Pela lei, diante de uma situação de empate, caberia à Câmara dos Deputados, que tem forte influência republicana, a escolha do presidente. Já o Senado, controlado pelos democratas, escolheria o vice-presidente. Nesse caso, a Câmara deve preferir o republicano Mitt Romney para presidente, enquanto o Senado ficaria com o democrata Joe Biden, atual vice de Obama. Os dois rivais teriam de governar o país juntos pelos próximos quatro anos.

A última vez que um empate eleitoral fez democratas e republicanos dividirem a Casa Branca foi em 1824, quando John Quincy Adams empatou com o rival Henry Clay.

Se isto acontecer novamente esta semana, sem dúvida lançará debates pelo país questionando o sistema de colégios eleitorais usado nos EUA para decidir eleições. Os defensores deste sistema alegam que ele preserva os direitos de estados menores em relação a grandes estados, como a Califórnia e o Texas, por exemplo, que seriam o foco de campanhas políticas se não houvesse colégios eleitorais. Já os críticos afirmam que o sistema é ultrapassado, pois quando foi criado os EUA possuíam somente 13 estados e uma população de menos de quatro milhões de habitantes.

Como funciona o sistema de colégios eleitorais

O Colégio Eleitoral é constituído por 538 delegados. Para cada estado é atribuído um número de delegados igual ao número de seus senadores federais (dois) mais o número de seus representantes federais (membros da Câmara dos Representantes), que são proporcionais à população. O candidato escolhido pela maioria dos votos populares de cada estado define como votarão todos os delegados que representam aquele determinado estado.

Este sistema obriga os candidatos a percorrer todo o país com especial interesse nos chamados ‘estados-chave’ – aqueles que não se definem claramente como republicano ou democrata – e que podem ser determinantes, como Ohio.

Enquanto a possibilidade de um empate nos colégios eleitorais é alarmante, mas remota, as chances de o resultado da votação nos colégios eleitorais divergir do resultado da votação popular pela segunda vez em quatro anos não é tão difícil de se imaginar. Pesquisas de opinião indicam que os candidatos estão empatados, mas em estados ainda indefinidos, o presidente tem uma pequena margem de vantagem. Isso significa que há chances de Obama vencer nos colégios eleitorais, mas perder na votação popular.

 

 

 

 

 

Fontes:
Financial Times-Could poll maths leave Romney-Biden White House?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. CARLOS ALBERTO PEREIRA DE SOUSA disse:

    Um empate entre os dois concorrentes será vantagem para Mitt, mas se o desempate for o fator idade com certeza como Obama será o beneficiado, na verdade são dois gigantes, pois chegar na reta final para disputar a Presidência dos Estados Unidos, mostra a competência do cidadão. Para mim, a disputa é para a Presidência de um país onde realmente existe democracia, onde os direitos do cidadão são respeitados.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *