Início » Internacional » Queimadas na Indonésia ‘sufocam’ o sudeste da Ásia
MEIO AMBIENTE

Queimadas na Indonésia ‘sufocam’ o sudeste da Ásia

As florestas e turfeiras no Sudeste da Ásia estão produzindo mais emissões de carbono do que os países industrializados

Queimadas na Indonésia ‘sufocam’ o sudeste da Ásia
As emissões de carbono da Indonésia superaram as dos Estados Unidos (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A neblina anual que cobre alguns locais do Sudeste da Ásia em geral começa a diminuir em outubro. Este ano, no entanto, a névoa provocada pelas queimadas para limpar terrenos agrícolas na região rural da Indonésia agravou ainda mais a poluição ambiental. Em 26 de outubro Joko Widodo, presidente da Indonésia, cancelou uma visita aos Estados Unidos para controlar a crise, uma das piores na lembrança dos indonésios. Com o atraso este ano da estação chuvosa em razão do fenômeno climático cíclico do El Niño, em um mês ou em um pouco mais de um mês, o Sudeste da Ásia ficará coberto por uma neblina espessa.

A palavra “neblina” é um eufemismo para designar as nuvens tóxicas que pairam na região desde agosto. Em dias de condições climáticas piores partes de Cingapura e da Malásia ficaram envoltas em uma névoa branca fétida que impediu o funcionamento dos colégios e atrasou os voos. Em seguida, a névoa chegou ao sul da Tailândia e das Filipinas. Enquanto isso, milhões de indonésios que vivem próximos a lugares muito quentes, em geral nas ilhas de Sumatra e Bornéu, estão respirando uma névoa amarelada que, segundo as autoridades, já matou pelo menos dez pessoas e causou problemas respiratórios em mais de 500 mil.

As queimadas não são os únicos desastres ambientais para os que vivem na região. O Greenpeace alertou que anos de drenagem e da transformação de jazidas de turfas em terras de cultivo de óleo de palma, também chamado de azeite de dendê, e de outras culturas, transformou a Indonésia em uma “bomba de emissão de carbono”. Na avaliação do pesquisador holandês Guido van der Werf, as emissões de carbono ao longo detrês semanas este ano superaram a produção total de dióxido de carbono da Alemanha.

Em uma projeção diária, as emissões de carbono da Indonésia superaram as dos Estados Unidos, um país com um crescimento econômico 20 vezes maior do que o da Indonésia. Os ambientalistas também se preocupam com o impacto do meio ambiente na fauna do país, não só dos orangotangos, espécies asiáticas dos grandes primatas, que vivem nas florestas tropicais da Sumatra.

Fontes:
The Economist-South-East Asia is choking on Indonisia's forest fires

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *