Início » Internacional » Quinta criança morre sob custódia dos Estados Unidos
ESTADOS UNIDOS

Quinta criança morre sob custódia dos Estados Unidos

Após sete dias detido na fronteira dos Estados Unidos, o menino guatemalteco de 16 anos morreu. A causa ainda é desconhecida

Quinta criança morre sob custódia dos Estados Unidos
Os Estados Unidos desconhecem a causa da morte do adolescente (Foto: U.S Customs and Border Protection)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Morreu na última segunda-feira, 20, mais um adolescente que estava sob custódia na fronteira dos Estados Unidos. O jovem, de 16 anos, foi o quinto menor de idade a morrer sob os cuidados dos EUA.

O adolescente foi identificado como Carlos Gregorio Hernández Vasquez. De acordo com a autoridade de imigração, ele “foi encontrado inconsciente” na estação fronteiriça de Weslaco, no Texas. De acordo com oficiais americanos, o adolescente declarou que se sentia mal no último domingo, 19.

Até o momento, os Estados Unidos afirmaram que desconhecem as razões da morte do adolescente, detido no último dia 13 de maio, nas redondezas de Hidalgo, no Texas. De acordo com um funcionário da Alfândega e Proteção de Fronteiras, que permaneceu em anonimato, o menino não apresentou nenhum sinal de doença no dia que foi detido.

Segundo um agente da polícia, “ele foi medicado e diagnosticado com influenza A”. Após isso, um médico receitou um antigripal, transferindo o jovem para uma instalação separada para evitar o contágio com outros detidos.

Devido ao seu estado de saúde, Gregorio deveria ter sido transferido para o centro juvenil da Clínica de Saúde e Assistência Social de Reassentamento de Refugiados. Porém, uma hora após ser medicado, ele foi encontrado morto.

Ainda não foram revelados os motivos para transferência do adolescente não ter acontecido, visto que, de acordo com a legislação americana, menores de idade desacompanhados precisam ser transferidos para uma clínica deste tipo em até 72 horas após serem detidos.

As autoridades se recusaram a dizer se Gregorio estava sozinho na cela quando morreu. Também não ficou claro o quanto de medicação o adolescente recebeu, ou se até mesmo enfermeiras ou médicos foram verificar o estado do jovem após o atendimento.

De acordo com diplomatas guatemaltecos, o adolescente era da província de Baja Verapaz e estava nos Estados Unidos para se reencontrar com sua família.

“O governo da Guatemala lamenta o falecimento desse menino […] e solicita às autoridades americanas que se pronunciem sobre a causa da morte e apontem os responsáveis pelo ocorrido com urgência”, declarou a chancelaria em nota.

O triste “sonho americano”

A realidade sobre os guatemaltecos que buscam uma nova vida nos Estados Unidos tem praticamente o mesmo desfecho, no qual são interceptados pela polícia fronteiriça americana e levados para alojamentos. Mais de 114 mil pessoas da Guatemala foram detidas entre outubro de 2018 e abril deste ano.

Em menos de um ano, pelo menos cinco crianças morreram sob a custódia dos EUA na fronteira americana. Em dezembro, a menina Jakelin Caal, de sete anos, morreu devido à uma infecção bacteriana e negligência no atendimento.

Na véspera de Natal, Felipe Gomez Alonso, de oito anos, morreu devido à uma gripe. O garoto chegou ser transferido para um hospital no Novo México, mas foi liberado após noventa minutos em observação. Ele foi a óbito horas depois.

Outra vítima foi um menino de apenas dois anos, que foi preso com sua mãe no último dia 3 de abril. Os dois estavam próximos à Ponte Paso Del Norte, que atravessa o Rio Grande, conectando El Paso com a Ciudad Juarez. Segundo as autoridades, o menino apresentava febre e dificuldades de respirar, sendo diagnosticado com pneumonia. Apesar de ter sido internado por vários dias, o menino não sobreviveu.

O adolescente Juan de Leon Gutierrez, de 16 anos, também foi encontrado morto em uma das instalações de detenção. De acordo com o médico legista, Juan possuía uma doença rara conhecida como tumor de Pott, que pode ser ocasionado por uma forte sinusite ou traumatismo craniano.

As dezenas de mortes relacionadas com a custódia da fronteira dos Estados Unidos destacam uma perigosa jornada de todos os migrantes que enfrentam todas as adversidades para chegarem ao país.

De acordo com autoridades da Alfândega e Proteção de Fronteiras, quase 110 mil migrantes forma detidos em abril nas fronteiras, sendo considerado o maior número total desde o ano de 2007.

Fontes:
The New York Times - Guatemalan Boy Dies at Border Station While Awaiting Move to a Shelter
Folha de S.Paulo – Morre o quinto menor de idade da Guatemala detido pela polícia de fronteira dos EUA

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *