Início » Internacional » Referendo oficializa fim do apartheid na África do Sul
NESTA DATA

Referendo oficializa fim do apartheid na África do Sul

Em 17 de março de 1992, população branca aprova, com 68,7% de votos a favor, o fim da política de segregação racial conhecida como apartheid

Referendo oficializa fim do apartheid na África do Sul
Referendo sul-africano oficializa as reformas do então presidente Frederick de Klerk para terminar o regime do apartheid (Foto: Wikipedia)

Em 17 de março de 1992, um referendo popular na África do Sul oficializou o fim do regime que ficou conhecido como o apartheid. A maioria da população branca do país aprovou (com 68,7% dos votos) a continuação das reformas iniciadas pelo então presidente Frederick de Klerk.

Vigorando desde 1948, o regime consistia numa política de segregação racial que suprimia os direitos sociais, econômicos e políticos da população negra do país e fazia uma separação territorial entre brancos, asiáticos, mestiços e negros. Com isso, era estabelecida uma hierarquia racial, em que a população branca estava no topo.

Entre as principais leis do apartheid estavam a proibição de casamentos entre brancos e negros, obrigação de declaração de registro de cor para todos sul-afriacanos, proibição de circulação de negros em determinadas áreas das cidades, determinação e criação dos bantustões (bairros destinados apenas para negros), proibição de negros no uso de determinadas instalações públicas (bebedouros, banheiros públicos), criação de um sistema diferenciado de educação para as crianças dos bantustões, entre outros.

Com o passar do tempo, as leis foram ampliando a segregação no país até que protestos contra o regime, encabeçados por Nelson Mandela, ganharam força. No entanto, em 1964, Mandela foi condenado à prisão perpétua, acusado do crime de terrorismo.

O apartheid era mal visto na comunidade internacional e a África do Sul sofreu diversas condenações, como a exclusão dos Jogos Olímpicos de 1972 e embargos econômicos e militares impostos pela comunidade ocidental e pela ONU.

Em 1990, Frederick de Klerk assume como presidente do país e na abertura do parlamento condenou o apartheid. Libertou Nelson Mandela da prisão e iniciou uma série de reformas constitucionais. O referendo de 1992, apenas com a participação da população branca, garantiu que as reformas iniciadas por de Klerk fossem oficializadas.

Fontes:
InfoEscola-Apartheid
Sua Pesquisa-Apartheid
African Elections Database-Elections in South Africa

1 Opinião

  1. Ludwig Von Drake disse:

    Ouvi esses dias uma música lá do Rio Grande do Sul, que tinha um refrão que dizia: “nego bom não se mistura”.
    O filme “Invictus”, com Morgan Freeman, mostra que os negros da Africa do Sul, foram os que mais resistiram às medidas de unificação nacional. Não queriam se misturar.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *