Início » Internacional » Refugiados acabam vivendo em prisões na Holanda
CRISE DOS REFUGIADOS

Refugiados acabam vivendo em prisões na Holanda

Medida que era para ser provisória parece se tornar um padrão

Refugiados acabam vivendo em prisões na Holanda
O tempo para o processo de refúgio era de no máximo seis meses. Contudo, agora o processo começa depois de sete meses, podendo demorar até 15 (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Mais de 300 refugiados foram parar na De Koepel, uma das 13 prisões inutilizadas que a Holanda está usando para hospedar os refugiados enquanto eles esperam pela aprovação ou não de seus pedidos de asilo.

Leia mais: Imagens de refugiados afogados devem ser divulgadas?

Apesar de não ser ideal, a ideia foi aceita como uma medida emergencial diante do grande influxo de refugiados de países como Síria, Irã, Eritreia, Afeganistão no último ano.

No entanto, a medida está ficando cada vez mais polêmica com a demora dos processos. Segundo os críticos, a solução que era para ser temporária está se tornando o novo padrão. O sentimento de encarceramento cresce entre os refugiados.

O tempo para o processo de refúgio era de no máximo seis meses. Contudo, agora o processo começa depois de sete meses, podendo demorar até 15.

Para refugiados que fugiram de seus países para evitar prisões, por se recusarem a lutar em guerras, ou até para as pessoas que foram torturadas em seus próprios países, ficar hospedado numa antiga prisão, mesmo que temporariamente, pode não ser um lugar de boas lembranças.

Fontes:
The New York Times-He Fled Syria to Avoid Prison. He Ended Up Living in One Anyway
DW-Uma prisão como abrigo para refugiados

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *