Início » Internacional » Refugiados africanos em Israel devem deixar o país ou serão presos
ultimato israelense

Refugiados africanos em Israel devem deixar o país ou serão presos

Governo de Israel envia carta a 45 mil refugiados africanos alertando que devem retornar para a África ou enfrentar a prisão por tempo indeterminado

Refugiados africanos em Israel devem deixar o país ou serão presos
Refugiados eritreus e sudaneses têm prazo de 30 dias para aceitar ou recusar a proposta (Foto: Wikipedia)

Refugiados africanos que vivem em Israel estão recebendo do governo um ultimato para deixar o país ou enfrentar a prisão por tempo indeterminado.

O governo israelense enviou uma carta oficial a 45 mil refugiados eritreus e sudaneses que vivem no país, dando um prazo de 30 dias para que retornem ao seu país de origem, ou outro país africano. Aqueles que aceitarem a proposta terão a passagem comprada pelo governo e uma ajuda de custo de US$ 3,500 em dinheiro. Já os que recusarem serão presos por tempo indeterminado na penitenciária de Saharonim.

A penitenciária fica no sudeste no país é usada para alojar imigrantes africanos que buscam asilo em Israel. Em fevereiro de 2014, ela foi alvo de um relatório feito pela associação de advogados israelense Israel Bar, que apontou irregularidades como superlotação e falta de banheiro nas celas. Também foi constatada a presença de crianças no local.

Além da carta, Israel tomou outras medidas para conter a vinda de imigrantes. Um muro está sendo construído na fronteira e imigrantes ilegais foram proibidos de trabalhar no país. Segundo o governo, a abordagem mais rígida tem o objetivo de salvar vidas. Isso porque, segundo Israel, ela desestimula imigrantes de enfrentar uma travessia perigosa para entrar no país.

A ação de Israel ocorre no mesmo momento em que a Europa busca formas duras para conter a onda de imigrantes africanos que tenta entrar no continente pelo Mediterrâneo. Na última segunda-feira, 11, a União Europeia começou a pressionar a ONU pela autorização do uso e força militar contra navios que transportam imigrantes ilegais.

As novas medidas de Israel também coincidem com a divulgação de um vídeo mostrando três supostos eritreus que aceitaram a proposta de Israel para o país sendo mortos por militantes do Estado Islâmico (Isis) na Líbia.

Fontes:
The Washington Post-Israeli government to refugees: Go back to Africa or go to prison
Haaretz-Report: Unfit conditions at Saharonim migrant detention center

2 Opiniões

  1. Evandro Correia disse:

    Caçadores-coletores (tradução de “hunters-gatheres”) vivem disso: caçar e comer o que colhem de plantas e árvores. Nossos seringueiros eram altamente produtivos, colhiam o latex das seringueiras do qual se produzia borracha. O Brasil foi grande produtor, talvez o maior do mundo. Quanta ignorância!

  2. Roberto1776 disse:

    Como as coisas mudam!
    Depois da segunda guerra mundial, os povos africanos correram com os europeus que haviam se estabelecido na África e que haviam proporcionado um razoável progresso a povos que até então viviam em padrões do Neolítico (subsistiam da caça e coleta, como os seringueiros do norte do Brasil – vide Chico Mendes, herói nacional).
    Passada a euforia que durou décadas, enquanto as benfeitorias subsistiram sem manutenção, eles agora querem ir para onde expulsaram os europeus: a Europa branca, de olhos azuis e repositório de todos os males do mundo.
    Nada como um dia após o outro!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *