Início » Internacional » Reino Unido expulsa 23 diplomatas russos
RETALIAÇÃO

Reino Unido expulsa 23 diplomatas russos

Medida é retaliação à Rússia por ter ignorado o ultimato britânico para esclarecer o envenenamento de um ex-espião russo no país

Reino Unido expulsa 23 diplomatas russos
Para May, o envolvimento de Moscou no incidente é ‘altamente provável’ (Foto: Parliament TV)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou nesta quarta-feira, 14, a expulsão de 23 diplomatas russos que atuam no Reino Unido. As informações são do jornal britânico Independent. Trata-se da maior expulsão de representantes estrangeiros em solo britânico desde a Guerra Fria. A partir de agora, os diplomatas têm uma semana para deixar o Reino Unido.

A medida foi uma retaliação à Rússia por ter ignorado o ultimato dado por May para esclarecer o envenenamento do ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha, Yulia. O episódio ocorreu no dia 4 deste mês, na cidade de Salisbury, a 120 quilômetros de Londres.

Skripal e Yulia e foram encontrados inconscientes em um banco em frente ao restaurante Zizzi, onde haviam almoçado duas horas antes. Uma investigação constatou que pai e filha foram envenenados por um agente nervoso. Uma perícia forense também encontrou vestígios da substância no restaurante.

May afirma ser “altamente provável” que Moscou esteja por trás do ataque, uma vez que o agente usado foi desenvolvido na Rússia durante a Guerra Fria e por tratar-se de um espião russo condenado por traição pelo Kremlin em 2006. Na década de 1990, Skripal  atuou como um agente duplo, repassando informações russas para inteligência britânica. Em 2010, ele foi solto como parte de um acordo que, em troca, libertou espiões russos presos nos EUA. Desde então, ele vivia no Reino Unido.

Na última segunda-feira, 12, May deu um prazo de 24 horas para que Moscou se explicasse. “Ou foi um ato direto do Estado russo contra o país, ou o governo russo perdeu o controle desse agente nervoso e permitiu que ele caísse nas mãos de terceiros”, disse May na ocasião.

Porém, a Rússia nega envolvimento no caso. A embaixada russa no Reino Unido declarou que não responderia ao ultimato britânico até que tenha acesso a amostras da substância usada na tentativa de assassinato. Além disso, o ministro do Exterior russo, Sergei Lavrov, alertou que a Rússia responderá a qualquer represália adotada pelo Reino Unido.

Em discurso no Parlamento britânico nesta quarta-feira, May disse que Moscou respondeu ao ultimato com “sarcasmo, desacato e provocação” e tornou a acusar a Rússia pela tentativa de assassinato.

“Não há nenhuma conclusão alternativa, além do fato de que o Estado russo foi culpado pela tentativa de assassinato de Skripal e sua filha e por ameaçar a vida de outros cidadãos britânicos em Salisbury. Isso representa um uso ilegal da força pelo Estado russo contra o Reino Unido”, disse a primeira-ministra.

Para o especialista em política russa do Instituto de Relações Internacionais de Praga, Mark Galeotti, é improvável que o Kremlin peça desculpas ou mesmo leve a sério a discussão em torno do incidente. Isso porque ele encarna essência do putismo: que ilustra a Rússia como uma potência invencível, ameaçada por inimigos fora de suas fronteiras e pronta para responder a ataques vindos de qualquer lugar. “Isso demonstra que a Rússia não só tem capacidade para agir, como também vai agir”, disse Galeotti, em entrevista ao New York Times.

Segundo Galeotti, longe de comprometer a imagem de Vladimir Putin, que disputará a reeleição neste fim de semana, o incidente fortalece o presidente russo. Isso porque consolida a imagem de Putin como um destemido defensor da nação, pronto para fazer qualquer coisa, independentemente do risco, para garantir o status da Rússia como uma grande potência a ser temida.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Carlos disse:

    Foi um ataque sob “falsa bandeira” tão comum nos EUA feito desta vez pelo Deep State ou Nova Ordem Mundial quer á força e custe o que custar liquidar a Rússia como se isso fosse possível e fácil.
    Uma boa maneira para liquidarem a Humanidade e reduzi-la para 500 milhões de escravos!
    Esse virús foi inventado ainda no tempo da antiga União Soviética e curiosamente foi elaborado para não deixar qualquer indicio ou vestígio. E os ingleses já sabiam do nome desse virús. Como pode?
    E o que faz esse ex-agente do MI-6 metido neste caso e que fez o dossier “provando” a ligação de Trump com a Russia durante as eleições dos EUA?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *