Início » Internacional » Relato de viagem: roteiro do que ver e fazer no Central Park em Nova York
Turismo

Relato de viagem: roteiro do que ver e fazer no Central Park em Nova York

Confira um roteiro para passear pelo Central Park

Relato de viagem: roteiro do que ver e fazer no Central Park em Nova York
O lindo Central Park em Nova York. Foto: GC/Blog Vambora!

O Central Park em Nova York é uma daquelas atrações obrigatórias para se visitar na cidade. Não dá para dizer que você foi para Nova York se você não conheceu o parque. Porém, conhecer o Central Park (de verdade!) é algo que você deve dedicar no mínimo uma manhã ou tarde, ou idealmente, um dia todo para curtir, descobrir e se surpreender com todos os cantos e atrações dessa imensa área verde em Manhattan. E se engana quem pensa que vai encontrar por lá só árvores e campos: o lugar guarda muita história, arte, geologia e vistas incríveis da cidade.

O lindo Central Park em Nova York. Foto: GC/Blog Vambora!

O lindo Central Park em Nova York. Foto: GC/Blog Vambora!

No post anterior, contei aqui sobre uma super dica para conhecer o Central Park num primeiro momento e de maneira relativamente rápida: fazendo um tour guiado, e gratuito, de 1h30 que você consegue ver o coração do parque (veja mais detalhes nesse post).  Porém, nessa pequena volta, quem fizer, vai ver que tem muito mais coisas legais para se ver por lá e a vontade de voltar para ver mais será grande.

Assim, quem tiver mais tempo vale a pena fazer um roteiro um pouco mais longo no parque, o conhecendo mais profundamente, de áreas que pouca gente conhece até aqueles lugares que aparecem nos filmes, o que foi exatamente o que fiz por conta própria e coloco abaixo. A duração é por volta de umas 4/5h, dependendo do ritmo de cada um, quantas milhares de fotos você vai querer tirar e claro, incluindo aquele momento de descanso. Confira abaixo:

Obs: Quem baixar o app oficial do parque (veja nesse post mais informações), vai encontrar durante o caminho placas com indicações para acessar mais informações e histórias de cada uma das atrações, incluindo um audio guide. Vale baixar.

Roteiro pelo Central Park em Nova York

Esse roteiro pega a metade sul do parque, a mais cheia de atrações. 

-> Comece o passeio entrando pela Rua 72th. e antes mesmo de entrar no parque, já comece com o clima de Beetles ao ver na esquina o edifício Dakota, local onde morou e foi assassinado John Lennon.

Dakota Building. Foto: GC/Blog Vambora!

Dakota Building. Foto: GC/Blog Vambora!

-> Já nessa entrada do parque você verá a indicação do Strawberry Fields, área criada em homenagem ao músico. Lá, encontra-se a inscrição “Imagine”, feita com ladrilhos no chão, onde todos os dias fãs e visitantes prestam suas homenagens, cantam, deixam flores, etc.

Homenagem a John Lennon na área chamada Strawberry Fields. Foto: GC/Blog Vambora!

Homenagem a John Lennon na área chamada Strawberry Fields. Foto: GC/Blog Vambora!

-> Seguindo ao norte (veja no mapa), vá margeando o “Lago”, até chegar ao “Ladies Pavillion”, entre rochas para ter lindas visões do parque e da cidade. Para quem quer curtir um momento romântico, lá é um daqueles lugares perfeitos para sentar e curtir a vista a dois.

Clima romântico e vistas lindas no Ladies Pavilion. Foto: GC/Blog Vambora!

Clima romântico e vistas lindas no Ladies Pavilion. Foto: GC/Blog Vambora!

-> Mais ao norte, depois do fim do lago, chega-se a Rua 79. Aqui passeie pelos jardins do Shakespeare Garden e rume para o Belvedere Castle. Esse castelo do século XIX, guarda lindas e surpreendes vistas de todo o parque no seu 2º andar. Não deixe de subir.

Belvedere Castle.Foto: GC/Blog Vambora!

Belvedere Castle.Foto: GC/Blog Vambora!

-> De cima do castelo você verá já o “Great Lawn”, o grande gramado, onde a maioria das pessoas fica deitada, relaxando, jogando, brincando no parque. Vá para lá e aproveite também para sentar no grama para descansar e ficar observando a vista e as pessoas. Aliás, aqui é um ótimo lugar para um piquenique.

O “Great Lawn”, o grande gramado do Central Park. Foto: GC/Blog Vambora!

O “Great Lawn”, o grande gramado do Central Park. Foto: GC/Blog Vambora!

-> Comece voltar rumo ao sul e entre numa das minhas partes favoritas do parque: a Ramble, um conjunto de alamedas e trilhas surpreendes ao redor do lago. Aqui você consegue esquecer totalmente que está numa metrópole como Nova York. A tranqüilidade é tanta que essa parte do parque é famosa por “Birdwatching” (observação de aves), com especialistas de todo o mundo e visitantes procurando aves de todos os tipos. A região pode ser confusa para quem não tem muito senso de direção, por isso, para não se perder muito, vá seguindo o caminho e trilhas permeando o lago.

A Ramble, uma das minhas partes favoritas do parque. Foto: GC/Blog Vambora!

A Ramble, uma das minhas partes favoritas do parque. Foto: GC/Blog Vambora!

Vista do Lago na região da Ramble. Foto: GC/Blog Vambora!

Vista do Lago na região da Ramble. Foto: GC/Blog Vambora!

-> Fazendo esse caminho você chega a “The Bow Bridge” a ponte mais famosa do Central Park e de todos os filmes que se passam no parque. Lá é um ponto ideal para ver os barquinhos que circulam pelo lago. Quem quiser alugar um para ficar remando por lá, pode seguir até a “The Loeb Boathhouse Central Park”. Quando fui, o valor era de U$ 15/hora (pagamento apenas em dinheiro), sendo que em cada barco cabem até 4 pessoas.

The Bow Bridge. Foto: GC/Blog Vambora!

The Bow Bridge. Foto: GC/Blog Vambora!

-> Quem quiser, pode se deslocar um pouco para leste e visitar o “Conservatory Water”, uma área mais familiar, com as famosas estátuas gigantes do escritor de histórias infantis Hans Christian Andersen (autor de “O patinho feio) e da Alice no Pais das Maravilhas. Ambas podem ser “escaladas” e não tem quem não tire uma foto interagindo com elas.

-> De lá siga para a “Bethesda Fountain and Terrace” um dos atrativos mais icônicos e famosos do Central Park em Nova York, cenários de muitos filmes e séries que se passam na cidade. Vale ficar escutando por um tempo os músicos que ficam tocando embaixo do terraço, todo decorado com ladrilhos coloridos. Um dos locais mais lindos do parque.

Fonte e terraço Bethesda. Foto: GC/Blog Vambora!

Fonte e terraço Bethesda. Foto: GC/Blog Vambora!

-> Depois de subir o terraço (e tirar muitas fotos), siga pela The Mall, a grande “avenida verde do parque” cheia de esculturas de escritores e compositores famosos. Bem no seu centro, geralmente fica o “Bubble Men” ou o “homem das bolhas de sabão” (em português), um sujeito comum que faz bolhas de sabão gigantes para alegria das crianças. Parece bobo mas é um espetáculo lindo e para as crianças, especialmente divertido. Se algum dos seus filhos ou crianças de seu grupo ficar lá se divertindo com as bolhas, não deixe de dar uns trocados para ele, pois por mais estranho que pareça, ele ganha a vida fazendo isso…

A grande “avenida do parque”: The Mall. Foto: GC/Blog Vambora!

A grande “avenida do parque”: The Mall. Foto: GC/Blog Vambora!

O homem das bolhas de sabão fazendo a alegria das crianças. Foto: GC/Blog Vambora!

O homem das bolhas de sabão fazendo a alegria das crianças. Foto: GC/Blog Vambora!

-> Com tanta caminhada, vale agora escolher um cantinho para se esticar no gramado do “Sheep Meadow” e ver o final da tarde chegando. Quem for na época do outono/inverno, já no final de outubro é aberto o rink de patinação “Wollman Ice”, bem grande e divertido para quem quer ter a experiência de patinar no gelo. Bem perto de lá fica também o Central Park Zoo, mas depois de tanta caminhada, se estiver muito cansado, deixaria outro dia para visitá-lo.

Rink de patinação Wollman Ice. Foto: GC/Blog Vambora!

Rink de patinação Wollman Ice. Foto: GC/Blog Vambora!

Durante todo esse roteiro você encontra alguns carrinhos vendendo comidas e bebidas, além de restaurantes e lanchonetes, algumas baratas (como a Le Pain Cotidien) e outras caras, como os restaurantes The Loeb Boathouse Restaurant e Tavern on the Green. Uma alternativa é levar algum lanche com você e fazer um piquenique. Na extremidade sudoeste do parque existe um Whole Foods(em Columbus Circle) e na Rua 80 (com a Broadway) o Zabbar’s, ambos mercados cheio de lanches e comidinhas prontas deliciosas.

Depois de ver tudo isso, você já pode dizer que conhecer “um pouquinho” do melhor do Central Park em Nova York e tenho certeza que mesmo depois de tanta caminhada, a vontade será de voltar algumas outras vezes. Vambora?!

*Guta C. escreve no blog Vambora, parceiro do Opinião e Notícia.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *