Início » Internacional » Renegar o Islã pode significar a morte
Mundo islâmico

Renegar o Islã pode significar a morte

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

As principais tradições da doutrina e da jurisprudência islâmicas, tanto a escola xiita quanto as quatro vertentes sunitas, defendem a sentença de morte para os que abandonam a sua fé. Nos últimos anos, esta visão tem sido cada vez mais dura entre os países do mundo islâmico.

Em todos os casos mais notórios de pessoas que renunciam ao islamismo, tem havido uma grande pressão da opinião pública e das facções do Islã nestes países no sentido de que a atitude para com estes "desertores" seja a mais severa possível.

Na Malásia, corre-se o risco de ser submetido a uma "reeducação". No Afeganistão, apesar dos norte-americanos, a pena de morte para a abjuração ainda está prevista nas leis do país. Esta foi a sentença recebida por Abdul Rahman, que viveu na Alemanha e foi pego com uma Bíblia pela polícia afegã. Depois da pressão ocidental, ele foi autorizado a deixar o país sob protestos do povo.

Fontes:
Economist - Islam and apostasy: In death's shadow

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Markut disse:

    Com as distorções provocadas pelos interesses tribais, o islamismo sofre terriveis distorções de que era , na sua origem.

  2. Eleutério Sousaa disse:

    Não é distorção é intransigêmcia… Essa história de pacifismo é balela…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *