Início » Internacional » Republicanos em Wisconsin tentam abolir os finais de semana
Leis trabalhistas nos EUA

Republicanos em Wisconsin tentam abolir os finais de semana

Políticos no estado tentam anular lei que exige que trabalhador descanse pelo menos 24 horas por semana

Republicanos em Wisconsin tentam abolir os finais de semana
Jeb Bush foi muito criticado por sugerir aumento da carga horário do trabalhador americano em seus discursos (Foto: Pixabay)

Esta semana, o candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Jeb Bush, foi severamente criticado por dizer que a solução para parte dos problemas econômicos do país pode ser o aumento da jornada de trabalho dos americanos. Agora, políticos republicanos do estado de Wisconsin estão tentando tornar isso uma realidade, com a proposta de permitir uma jornada de trabalho de sete dias por semana.

Os republicanos tentam anular uma lei existente que obriga empregadores a conceder ao menos 24h de folga para seus funcionários a cada sete dias de trabalho. Atualmente, para um empregado ignorar o dia de descanso semanal, o chefe precisa pedir autorização ao Departamento de Desenvolvimento da Força de Trabalho dos EUA. A Associação de Manufatureiros e Comércio de Wisconsin, uma defensora do projeto de lei, afirma que a necessidade de pedir autorização é onerosa e desnecessária, na medida em que o departamento aprovou 733 requisições nos últimos cinco anos, um número que demonstra que o departamento apenas carimba os documentos. Os apoiadores sugerem também que a lei contemple os trabalhadores que querem receber mais horas extras em seus empregos.

Porém, há muitos que estão céticos. O professor de políticas públicas da Universidade de Maryland, Donald F. Kettl, acredita que a proposta de lei está sendo retratada como uma ajuda aos trabalhadores, mas no fim das contas ela só beneficia os empresários. O ex-diretor da escola de assuntos públicos da Universidade de Wisconsin, Robert M. La Follette, acredita que hora extra tem que ser uma escolha clara do trabalhador.

“Muitas pessoas gostam de horas extras, mas a ideia de estar em uma posição na qual você é ‘convidado’ a trabalhar sete dias [levanta a questão] de o quanto isso é de fato uma escolha”, disse La Follette.

Os defensores do projeto dizem que a coerção não será um problema e que, caso aconteça, os trabalhadores poderão denunciar seus empregadores. Porém, a intimidação para forçar funcionários a trabalhar mais horas é comum.

Fontes:
The Atlantic-A 7-Day Workweek Could Soon Be Legal in Wisconsin

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *