Início » Economia » Revolução do gás de xisto desalenta o capitalismo russo
Rússia

Revolução do gás de xisto desalenta o capitalismo russo

Empresas de energia são responsáveis por metade do valor do mercado de ações russo, e uma única empresa controlada pelo estado, a Gazprom, produz 10% das exportações do país

Revolução do gás de xisto desalenta o capitalismo russo
Fonte: Economist

Um fantasma está assombrando a Rússia: o fantasma do gás de xisto. Ele está penetrando nos salões do poder, desconcertando líderes russos e seus camaradas. Empresas de energia são responsáveis por metade do valor do mercado de ações russo, e uma única empresa controlada pelo estado, a Gazprom, produz 10% das exportações do país. A política russa também é construída sobre petróleo e gás convencionais: Vladimir Putin é basicamente o CEO da Russian Energy Inc. A revolução da produção do gás não convencional de jazidas de xisto, que começou nos Estados Unidos e agora está se espalhando pelo mundo, está chacoalhando as fundações do capitalismo de estado russo.

Todos os poderes da Rússia de Putin se reuniram em uma aliança santa para exorcizar esse fantasma: o presidente e o primeiro-ministro, oligarcas e burocratas, ambientalistas modernos e a polícia espiã do Kremlim. Putin denunciou os altos custos e o potencial de destruição ambiental do xisto. Alexey Miller, presidente da Gazprom, descreveu essa revolução como um “mito” e uma “bolha que estourará em breve”. “Ainda estamos céticos em relação ao gás de xisto”, afirma. “Não vemos risco algum. No entanto, nos últimos meses a posição da classe dominante se tornou mais flexível. Putin agora admite que realmente possa haver “uma verdadeira revolução do xisto”. Ele declarou estar monitorando a revolução com atenção, e exortou as empresas de energia russas a “aceitarem o desafio” do xisto.

A revolução do xisto está alterando o equilíbrio de poder entre o urso russo e seus clientes europeus. No passado a Rússia era tão confiante de sua capacidade produtiva que se sentia autorizada a hostilizar seus clientes: o país cortou o fornecimento para a Ucrânia tanto em 2006 como em 2009 durante o período em que os contratos estavam sendo negociados. Mas a transformação baseada em xisto dos EUA – de uma potência energética decadente a maior produtor de gás do mundo e potencialmente um exportador de porte – está reduzindo o preço do gás no mercado mundial.

Texto da revista Economist editado para o Opinião e Notícia

Tradução: Eduardo Sá

 

Fontes:
Economist - The shale-gas revolution unnerves Russian state capitalism

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *