Início » Internacional » Richard Nixon renuncia após escândalo Watergate
NESTA DATA

Richard Nixon renuncia após escândalo Watergate

No dia 8 de agosto de 1974, Nixon é o primeiro presidente americano a renunciar à presidência

Richard Nixon renuncia após escândalo Watergate
Nixon anunciou sua renúncia na noite de 8 de agosto de 1974 (Foto: Wikimedia)

Sob ameaça de impeachment, por ter mandado espionar a sede do Partido Democrata em Washington, Richard Nixon foi o primeiro presidente americano a renunciar. “Não sou nenhum trapaceiro”, foram as palavras com que Nixon tentou salvar sua honra em 1974.

Apesar de ter sido reeleito com clara vantagem de votos, o seu governo já estava fragilizado na ocasião, após o escândalo de Watergate. Ele deixou o cargo pouco antes da votação do impeachment pelo Congresso.

O caso Watergate veio a público no dia 18 de junho de 1972, quando o jornal Washington Post estampou em sua capa um assalto ocorrido na véspera à sede do Comitê Nacional Democrata, no Complexo Watergate.

Durante a campanha eleitoral, cinco pessoas foram presas, fotografando e instalando escutas no escritório do Partido Democrata. Os repórteres Bob Woodward e Carl Bernstein, do Washington Post, foram informados por uma fonte, apelidada de Garganta Profunda, de que Nixon sabia das operações ilegais. Apenas em 2005, a identidade do informante foi revelada. Em 31 de maio de 2005, W. Mark Felt, ex-vice-presidente do FBI, assumiu que era o famoso Garganta Profunda.

Nixon só tinha uma chance de evitar a suspensão de sua imunidade política pelo Congresso americano para escapar de um processo penal. Num pronunciamento transmitido pela TV, anunciou sua renúncia na noite de 8 de agosto de 1974. O vice, Gerald Ford, assumiu a presidência no dia seguinte. Posteriormente, ele concederia anistia a Nixon, poupando-o das consequências legais do escândalo Watergate.

 

Fontes:
The New York Times-Nixon Resigns
DW-1974: Nixon renuncia
The Washington Post-The Watergate Story

1 Opinião

  1. Markut disse:

    Watergate, perto do atual escândalo do petróleo, do qual é difícil blindar a figura da presidente ,seria mais do que inspiradora para que essa senhora, num ato de grandeza cívica, renunciasse ao cargo, para o qual , comprovadamente ela não tem condições de continuar.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *