Início » Internacional » Rússia afirma ter direito de instalar armas nucleares na Crimeia
Internacional

Rússia afirma ter direito de instalar armas nucleares na Crimeia

Região, que pertencia à Ucrânia foi anexada pela Rússia mesmo contra a vontade dos órgão internacionais, já recebeu frotas russas

Rússia afirma ter direito de instalar armas nucleares na Crimeia
Tropas russas que ocupam a Crimeia. Relações entre Rússia e os países da OTAN estão fragilizadas (Foto: Reprodução/The Independent)

O governo russo afirmou nesta quarta-feira, 11, ter o direito de instalar armas nucleares na Crimeia, território que pertencia à Ucrânia e foi anexado pela Rússia há um ano. Na região, fica a cidade portuária de Sevastopol, que tem uma saída para o Mar Negro e uma posição estratégica em relação à Europa.

Caso receba armas nucleares, a Crimeia seria a base russa mais próxima da Europa Central a ter esse tipo de armamento. Sevastopol já recebeu frotas russas em 2014, antes da eclosão dos conflitos na Ucrânia. A especulação sobre armas nucleares na Crimeia começou após o ministro das Relações Exteriores russo, Sergey Lavrov, afirmar, em entrevista à agência Interfax, que o governo russo poderia instalar esse tipo de armamento na região.

“Eu não sei se há armas nucleares lá no momento. Eu não conheço nenhum plano, mas em princípio a Rússia pode fazer isso”, disse o ministro Lavrov, braço direito do ministro do Departamento do Controle de Armas, Mikhail Ulyanov.

Os comentários de Lavrov chegam num momento em que as relações internacionais estão abaladas no entorno do Mar Negro, depois de membros da Organização do Tratado do Altântico Norte (OTAN) de Bulgária, Romênia e Turquia se juntarem à aliança de outros quatro países, Estados Unidos, Canadá, Alemanha e Itália, em exercícios navais no local.

Enquanto isso, a Rússia se apropria cada vez mais da Crimeia, o que é considerado ilegal pela maior parte dos órgãos internacionais. Um caso ocorrido na última terça-feira, 10, exemplificou o domínio russo na região. Foi revelado que Putin só permitiu a realização do referendo sobre a anexação da Crimeia após uma pesquisa extra-oficial indicar a tendência à aprovação.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *