Início » Internacional » Rússia destrói toneladas de alimentos importados dos EUA e da Europa
Em nome da soberania

Rússia destrói toneladas de alimentos importados dos EUA e da Europa

Medida é uma punição do Kremlin aos produtores que violaram a proibição de importar alimentos de países que impuseram sanções contra a Rússia

Rússia destrói toneladas de alimentos importados dos EUA e da Europa
Televisão russa veiculou imagens de alimentos sendo queimados ou esmagados por tratores (Foto: DNA)

Nos últimos dias, os noticiários russos vêm mostrando imagens que estão chocando a comunidade internacional. Toneladas de alimentos provenientes da Europa e dos EUA aparecem sendo queimados ou esmagados por tratores.

A medida é uma punição do governo de Vladimir Putin aos produtores que violaram a proibição de importar alimentos de países ocidentais que impuseram sanções contra a Rússia. Segundo o governo russo, a destruição dos alimentos está sendo feita em nome da soberania do país.

Em um país que sofreu com a fome na década de 1930, viu centenas de milhares morrerem por falta de alimentos durante os 900 dias de cerco a Leningrado na década de 1940 e tem 22 milhões de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza, a destruição de alimentos é um  tabu. Especialmente quando ela faz parte de um espetáculo público do governo.

A televisão russa mostra imagens de produtores agrícolas europeus lamentando a proibição do governo Putin, mas quem realmente sofre é a população russa, obrigada a assistir boa comida sendo desperdiçada.

O objetivo de Putin é tornar a população mentalmente isolada e mostrar que os russos podem desafiar as sanções estrangeiras. Recentemente, altos funcionários do governo publicaram artigos afirmando que a Rússia é uma fortaleza cercada de inimigos.

O cemitério de alimentos do Kremlin reforça a ideologia promovida por Putin nos últimos anos. Logo após o colapso da União Soviética, a Rússia passou a importar alimentos de estrangeiros, a maioria da Europa e do continente americano. Quase tudo que a população russa consumia era importado.

Agora, com a economia seriamente afetada pelo conflito com países ocidentais, a Rússia está substituindo produtos importados por um inflado conceito de nacionalismo. E essa medida não se restringe aos alimentos. Equipamentos médicos, como aparelhos de ressonância magnética e desfibriladores também estão sendo barrados.

Recentemente, Vladimir Yakunin, chefe da companhia ferroviária da Rússia que é ex-membro da KGB e aliado de Putin, declarou que “o consumismo destrói a espiritualidade, as tradições históricas e a cultura nacional”.

Difícil é entender como tratores passando por cima de alimentos vão fazer da Rússia um lugar mais espiritual. Na verdade, parece apenas mais um passo para fazer do país um lugar abalado pela fome, insatisfação e instabilidade.

Fontes:
The Economist-The bonfire of the vans of cheese

3 Opiniões

  1. olbe disse:

    Que pecado, um país que já sofreu tanto de fome ver alimentos serem destruídos…Putin não pensa na população mas no seu orgulho ainda age como um Czar…lamentável…

  2. ney disse:

    Quantas vezes o Governo brasileiro queimou cafe, para evitar a queda do preço do produto no exterior e interior?

  3. Roberto1776 disse:

    Assim como os saudosistas brasileiros elegeram uma terrorista leninista-marxista, duas vezes, para a presidência do Brasil, os russos não ligam o nome da pessoa ao sem-vergonha do cumuna Valdimir Putin. Tanto russos como brasileiros merecem a miséria em que vivem, pois são analfabetos eleitorais.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *