Início » Internacional » Rússia ganha estátua de Vladimir, o Grande
ÍCONE

Rússia ganha estátua de Vladimir, o Grande

O governo Putin homenageia a figura mítica de um príncipe eslavo

Rússia ganha estátua de Vladimir, o Grande
Estátua de Vladimir, o Grande, na Rússia (Foto: Twitter/@sarahrainsford)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Vladimir Putin tem um novo vizinho: uma estátua de bronze de 16 metros de altura de Vladimir, o Grande, um príncipe eslavo do século X. A estátua foi erguida ao lado dos muros vermelhos do Kremlin. “Na época da antiga União Soviética o monumento seria dedicado a Lenin”, disse o escultor, Salavat Shcherbakov.

Os defensores do monumento alegam que foi erguido em comemoração aos mil anos da morte de Vladimir em 2015, mas o subtexto político é claro. O Estado em formação que Vladimir governou, Rus Kievana, localizava-se nas planícies ucranianas, e tinha como capital Kiev.  Do ponto de vista historiográfico, a Ucrânia o considera o fundador da atual nação. As cédulas da moeda da Ucrânia, hryvnia, mostram seu retrato e outra estátua em sua homenagem ergue-se majestosa às margens do rio Dnieper, onde ele batizou seu povo na fé ortodoxa.

Segundo relatos, Vladimir rejeitou o judaísmo, o catolicismo e o islamismo, e disse aos emissários muçulmanos que pregavam a abstinência, que “beber é a alegria de Rus”. Os líderes da Rússia, por sua vez, veem o príncipe como o antepassado da atual Rússia. “Ele é nosso príncipe”, disse Shcherbakov.

Já os críticos dizem que o monumento é a expressão grosseira da hegemonia russa. “É evidente que o príncipe Vladimir é, hoje, o presidente Vladimir”, escreveu a cientista política Ekaterina Schulmann, quando os planos de construir a estátua foram divulgados.

Em março de 2014, Putin citou o legado do príncipe para justificar a anexação da Crimeia. “De repente, as pessoas interessaram-se pelo antigo estado de Rus”, disse Igor Danilevsky, um especialista na história do principado de Vladimir. Logo depois, a Sociedade Histórico-Militar da Rússia (RVIO), um órgão da época tzarista reativado em 2012, anunciou o projeto de construir o monumento.

Fontes:
The Economist-A tale of two Vladimirs

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *