Início » Internacional » Rússia pode finalmente admitir massacre em Katyn
Segunda Guerra

Rússia pode finalmente admitir massacre em Katyn

Rússia pode finalmente admitir massacre em Katyn
Google

Após sete décadas oficialmente negando que o regime soviético foi o responsável pelo massacre de militares poloneses em Katyn, o governo russo parece preparado para admitir a culta. Desde a invasão da Polônia pelos soviéticos e nazistas, os russos pregaram que o massacre foi obra de alemães, o que é reconhecidamente uma mentira.

O primeiro-ministro, Vladimir Putin, deve mudar a posição oficial ao convidar os descendentes dos sobreviventes para o septuagésimo aniversário do massacre. A expectativa é que Putin admita a culpa do governo soviético diante de câmeras.

A admissão de culpa, caso se torne realidade, será resultado de um esforço diplomático do governo polonês. Não é seria a primeira vitória. Em setembro de 2009, o governo polonês conseguiu a presença de Putin na cerimônia lembrando os 70 anos desde o início da guerra.

Fontes:
Economist - Unburied dead

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

8 Opiniões

  1. LUIZ ANTONIO VIEIRA BARBI disse:

    VAMOS REVIRAR O PASSADO, REABRIR VELHAS FERIDAS, CRIAR ALGUNS PROBLEMAS, REZANDO PARA QUE TUDO ISTO NÃO TERMINE CRIANDO DIFICULDADES FUTURAS!! VAMOS AGUARDAR…

  2. Tiago disse:

    Esse foi apenas um dos incontáveis massacres perpetrados pelo mais humano dos regimes. O problema foi a mistura comunismo + povo russo, que de humanista nenhum nunca teve nada. Povo sofrido sim, mas povo que aceitou o cabresto de meia dúzia de vagabundos, para cair na pior das mentiras. Esses nunca mais falarão em comunismo. Queria que alguns brasileiros fossem para lá aprender um pouco sobre essa mentira inominável.

  3. Markut disse:

    Para essas figuras de topo de poder, a hipocrisia, o cinismo e a cara de pau são ingredientes absolutamente necessários para sustentar os sagrados interesses de estado.

  4. Evandro Correia disse:

    Não nos esqueçamos nunca: o perpetrador desse massacre, e matador de cerca de 20 milhões de seus compatriotas é Josef Stalin, o ídolo de José Dirceu, Dilma Roussef et caterva.

  5. Afonso Schroeder disse:

    Ainda bem que o Brasil situado geograficamente na América do Sul com um povo com filosofias politicas pacíficas e sabendo se relacionar com todos os povos, vejamos o mundo já se encontra com tantos problemas para que reviver extremismos que não acrecentam nada a humanidade, temos o Americano que sempre esta procurando parceiros para guerrear ou boicotar alguém agora mesmo está a pronunciar sentença ao Povo do ” Irà ” que é totalmente arbitrário sabemos que cada País é soberano e responsavel pelos seus atos…

  6. Markut disse:

    Contrariando a visão de Afonso, não se trata de sentença contra o povo do Irã, e sim,do mínimo de precauções para que o fanatismo induzido por meia dúzia de chefetes irresponsaveis, conduza toda a nação a uma ação suicida que, em se tratando de poder atômico, não se restringirá apenas às fronteiras do país soberano.
    O direito de reagir contra uma ameaça como essa, com os seus mortais reflexos globais, é questão de sobrevivência de toda a humanidade.

  7. Beraldo Dabés Filho disse:

    Senhores do Opinião e Notícias,

    Pensei que eu teria liberdade de opinião, mas me enganei e, como tenho tido alguns comentários censurados, agradeço o espaço concedido até então e renuncio a ele.

    Quanto aos meus comentários censurados, por dever de consciência, reafirmo o teor de todos eles.

    Tenho dito!

  8. André Vinícius Vieites disse:

    Seria a séria compromotedora, realmente seria, tu já viu esses caras em small – seria a primeira vitória, uma das questões primordiais. Mas não é porque tecnicamente se dispõem de política monetária para articular as vicissitudes razoáveis dos elementos Descênviro 21- Abraham Lincoln e Descênviro 23 – George Bush (o Bush pai) ficam três razoáveis perguntas para apenas uma resposta, sim ou não, perguntas ocultas sobre uma depreciação econômica e política por devolvedores compulsivos comuns a política monetária. A Política Monetária Restritiva, engloba um conjunto de medidas que tendem a reduzir o crescimento da quantidade de moeda, e a encarecer os empréstimos. De forma mais objetivo, podemos afirmar que em uma política monetária restritiva, a quantidade de dinheiro em circulação é diminuída, ou mantida estável, com o objetivo de desaquecer a economia e evitar a aumento de preço.
    Preço, mais operações de sentido por retrospectos iguais as três respostas de sim, não ou talvez. As perguntas – A Política? – A Política Monetária? – A Política Monetária Restritiva? O mero ponto restritivo já se encaminha do restante da tal small victory, aliás já viu esses caras em baladinhas? Não. Por isso mesmo nunca vão ver, porque estão trabalhando por si próprios e não possuem tempo para se divertir. Ok é por aí mesminho – A small victory. Ass: André Vinícius Vieites

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *