Início » Internacional » ‘Se a pessoa é gay, quem sou eu para julgá-la’, diz Papa Francisco
Após visita ao Brasil

‘Se a pessoa é gay, quem sou eu para julgá-la’, diz Papa Francisco

Papa afirma que gays devem ser integrados e não marginalizados

‘Se a pessoa é gay, quem sou eu para julgá-la’, diz Papa Francisco
Após JMJ no Brasil, Papa volta a Roma e concede entrevista a jornalistas do mundo todo em pleno voo (Fonte: Reprodução/Internet)

No voo de volta a Roma, o Papa Francisco concedeu uma longa entrevista a jornalistas a bordo e declarou que os homossexuais devem ser integrados à sociedade e não marginalizados. “Se a pessoa é gay, procura a Deus e tem boa vontade, quem sou eu, por caridade, para julgá-la”, declarou.

O Papa tocou em um dos assuntos mais delicados para a Igreja, que é a aceitação de homossexuais. Ele ainda ironizou os boatos de que existem gays no Vaticano, afirmando que nunca viu ninguém se apresentando com “carteira” e se identificando como tal.

Francisco ainda respondeu sobre a suposta existência de um lobby gay no Vaticano, que favoreceria a homossexualidade internamente, e apontou que o problema é a existência de qualquer lobby e não de um “lobby gay”.

“O problema não é ter essa tendência. Devemos ser como irmãos. O problema é o lobby dessas tendências de pessoas gananciosas, lobby político e tantos outros lobbies. Esse é o principal problema”, afirmou o Papa.

Fontes:
Estadão - Entrevista com o papa Francisco: “Quem sou eu para julgar os gays”

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *