Início » Internacional » Sequestro em Sidney foi um ato de ‘terrorismo’, diz premier
Austrália

Sequestro em Sidney foi um ato de ‘terrorismo’, diz premier

Tony Abbott ressaltou, no entanto, que seria 'errado' vincular o ato a grupos extremistas

Sequestro em Sidney foi um ato de ‘terrorismo’, diz premier
Premier australiano e sua mulher deixaram flores em memorial a vítimas (Fonte: Reprodução/AFP)

O primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, disse nesta terça-feira, 16, que o sequestro de 17 reféns na cafeteria Lindt Cocolat Café, em Sidney, foi um ato de “terrorismo”.

Abbot ressaltou, no entanto, que seria “errado” vincular o ato a grupos extremistas, condenando o uso do grupo jihadista “Estado Islâmico” em referência ao ocorrido.

Ainda de acordo com o premier, o sequestrador era um “doente mental com um longo histórico de delitos”.

O episódio resultou na morte de três pessoas, incluindo o próprio sequestrador, uma advogada e o gerente do estabelecimento. Outras seis pessoas, cinco reféns e um agente, ficaram feridas, mas passam bem.

Cerca de 17 horas após o início do sequestro, a polícia australiana invadiu a cafeteria — depois de supostamente ouvir sons de tiro — e abateu o sequestrador. As autoridades ainda não informaram, no entanto, exatamente o que aconteceu dentro do estabelecimento.

O sequestrador, identificado como Man Haron Monis, era um radical iraniano que chegou à Austrália em 1996, quando recebeu asilo político.

Fontes:
Uol - Premiê australiano classifica sequestro de civis em Sydney como "terrorismo"

2 Opiniões

  1. ney disse:

    Vamos aguardar e acompanhar as investigações verdadeiras para sabermos quem são os responsáveis. ai tem coisa!

  2. Joma Bastos disse:

    Um louco que fez estragos.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *