Início » Vida » Ciência » Sonda da Nasa chega a Júpiter nesta segunda-feira
ASTRONOMIA

Sonda da Nasa chega a Júpiter nesta segunda-feira

Sonda Juno vai estudar a composição e as origens de Júpiter, que faz parte da classe de planetas chamados gigantes gasosos

Sonda da Nasa chega a Júpiter nesta segunda-feira
É a massa de Júpiter que controla a órbita dos outros planetas (Foto: Youtube)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

É impossível compreender o sistema solar sem compreender Júpiter. O Sol representa 99,8% de toda a massa do sistema solar. Todo o restante é praticamente Júpiter. Isso porque o planeta, sozinho, tem mais que o dobro de toda a massa somada dos demais sete planetas que compõem o sistema solar.

É a massa de Júpiter que controla a órbita dos outros planetas, a estrutura do cinturão de asteroides (localizado entre Marte e Júpiter) e a entrada de vários cometas no sistema solar. Nesta segunda-feira, 4, a sonda Juno da Nasa se tornará o 68º satélite a chegar em Júpiter para estudar o planeta. O objetivo da sonda é estudar a composição e as origens de Júpiter, que faz parte da classe de planetas chamados gigantes gasosos.

A sonda viaja a uma velocidade de 250 mil km por hora, um dos mais rápidos objetos já feitos pelo ser humano. A Nasa trabalha com a possibilidade de imprevistos. Júpiter é um ambiente hostil. Seu gigantesco campo magnético atrai e acelera partículas de energia lançadas pelo Sol, a maioria delas prótons e nêutrons. Isso faz do campo de radiação de Júpiter o mais feroz entre os planetas do sistema solar.

Toda essa radiação é catastrófica para dispositivos eletrônicos. Porém, a sonda Juno é protegida por uma espécie de caixa de 200 kg de titânio. Além disso, a órbita da sonda é programada para passar o menor tempo possível nas zonas de maior radiação. Mesmo assim, os cientistas da Nasa estimam que a sonda vai durar apenas o tempo para completar oito órbitas de Júpiter.

Fontes:
The Economist-By Jove!

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *