Início » Internacional » Suécia sinaliza apoio ao diálogo entre EUA e Coreia do Norte
ENCONTRO HISTÓRICO

Suécia sinaliza apoio ao diálogo entre EUA e Coreia do Norte

País aceitou sediar o encontro histórico entre líderes, mas outros locais ainda são cogitados

Suécia sinaliza apoio ao diálogo entre EUA e Coreia do Norte
O primeiro-ministro sueco, Stefan Löfven, prometeu apoiar a aproximação entre os países (Foto: Flickr)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Suécia vai apoiar o histórico diálogo entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, que deve ocorrer neste primeiro semestre, ainda sem data ou local definido. A informação foi confirmada nesta sexta-feira, 16, pelo primeiro-ministro sueco, Stefan Löfven.

“Nós realmente queremos ajudar. Se podemos ajudar e fornecer um fórum para isso e apoiar este processo, então isso é algo que devemos fazer”, afirmou Löfven à rede TV4 da Suécia.

À agência de notícias sueca TT, o primeiro-ministro relembrou a antiga relação diplomática com a Coreia do Norte, firmada em 1973, destacando a confiança que os países têm na Suécia. “Com a confiança que desfrutamos, pensamos que podemos desempenhar um papel. Mas é preciso que os principais atores [Estados Unidos e Coreia do Norte] decidam qual o papel que a Suécia vai desempenhar”, disse Löfven.

O ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong-ho, está visitando a capital da Suécia, Estocolmo, desde a última quinta-feira, 15. No mesmo dia, o diplomata norte-coreano se encontrou com a ministra sueca de Relações Exteriores, Margot Wallström, para um rápido diálogo.

Segundo a ministra sueca, a “situação de segurança na península coreana é de interesse para o mundo inteiro”, por isso o governo da Suécia “valoriza esta oportunidade de organizar uma reunião”. No entanto, Margot Wallström admitiu que, mesmo que a Suécia tenha se colocado à disposição para a realização do encontro, o país se atenta às movimentações políticas. “Nós acreditamos no diálogo e no processo político, mas não somos ingênuos”, disse a ministra.

A viagem do ministro Ri Yong-ho à Suécia é o primeiro movimento da Coreia do Norte depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, aceitaram dialogar. Já nesta sexta-feira, 16, o diplomata conheceu o primeiro-ministro Stefan Löfven, conforme informou à rede CNN o secretário de imprensa sueco, Erik Nisse“Eles se conheceram nesta manhã e discutiram os mesmos problemas que estão sendo discutidos durante esta viagem, como a situação de segurança”, declarou Nisse.

A Suécia, que mantém sua embaixada na Coreia do Norte – e representa os interesses dos Estados Unidos em território norte-coreano, já que os americanos não possuem embaixada no local –, é cotada para a realização da cúpula. Porém, o local ainda não foi definido entre os governos americano e norte-coreano.

Além da Suécia, outro país cotado para sediar o encontro entre Trump e Kim é a Suíça, um país neutro onde o líder norte-coreano frequentou a escola. Outra opção seria a zona desmilitarizada na fronteira entre as Coreias; ou a China, que mantém relações diplomáticas com ambos os países.

Para 2018, a Coreia do Norte parece adotar uma política reconciliatória. Após Kim Jong-un anunciar, durante o discurso de ano novo, que estaria disposto a dialogar com a Coreia do Sul, os países se reaproximaram, participaram juntos em uma modalidade nas Olimpíadas de Inverno de 2018 e têm mantido um diálogo aberto.

País neutro

A Suécia foi o primeiro país do mundo a declarar sua neutralidade diante de conflitos estrangeiros, o que ocorreu em 1814. Mesmo não sendo uma potência militar, o país participou de missões de paz da Organização das Nações Unidas (ONU). Além disso, já enviou tropas para apoiar as forças de segurança do Afeganistão e mantém parceria com a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN).

Por se manter neutra, a Suécia frequentemente atua como intermediadora de países que estão com as tensões políticas elevadas, como foi o caso em 1989, quando mediou conversas entre Reino Unido e Irã.

Fontes:
CNN-Sweden pledges to support historic US-North Korea dialogue
BBC-US-North Korea meeting: N Korean Minister in surprise Sweden visit

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *