Início » Economia » Sumiço de US$ 1 bilhão ameaça quebrar a Moldávia
'Roubo do século'

Sumiço de US$ 1 bilhão ameaça quebrar a Moldávia

Dinheiro sumiu de três das maiores instituições financeiras do pequeno país europeu

Sumiço de US$ 1 bilhão ameaça quebrar a Moldávia
Empresário Ilan Shor estaria no centro do escândalo (Fonte: Reprodução)

Uma reportagem da rede britânica BBC revelou que o “sumiço” de US$ 1 bilhão — o equivalente a 12% do PIB — de bancos da pequena Moldávia ameaça quebrar o país inteiro.

O “buraco” de US$ 1 bilhão em três das maiores instituições financeiras da Moldávia foi revelado pelo Banco Central e por uma consultoria. O rombo no país espremido entre a Romênia e a Ucrânia já está sendo chamado por muitos de o “roubo do século”.

A BBC informou que “ninguém sabe ao certo onde o dinheiro foi parar”. As dívidas, descobertas poucos dias antes das eleições para o Legislativo, em novembro do ano passado, teriam resultado de empréstimos “misteriosos” concedidos a “obscuros destinatários”.

Em uma tentativa de evitar a fuga de capitais ou a quebra das três instituições envolvidas — Banca de Economii, Unibank e Banca Sociala — o governo da Moldávia injetou US$ 870 milhões nos bancos.

De acordo com a consultoria Kroll, o empresário Ilan Shor, de 28 anos, estaria no centro do escândalo. O grupo empresarial de Shor seria “um dos beneficiados” — ou mesmo o “único” — da movimentação bancária .

Shor e outros empresários acusados adquiriram o controle sobre as três instituições entre 2012 e 2014. Após as aquisições, houve uma série de empréstimos ao grupo de Shor.

Com o resgate do governo aos bancos, a dívida da Moldávia aumentou para US$ 1,7 bilhão e a moeda do país se desvalorizou 42% desde novembro.

A consultoria Kroll afirma que não será fácil recuperar o dinheiro, que provavelmente está em paraísos fiscais. Quarenta mil pessoas participaram de um protesto na última semana na capital Chisinau pedindo novas eleições e a prisão dos acusados do “roubo do século”.

Fontes:
Estadão - 'Roubo do século' some com 12% do PIB e ameaça quebrar um país inteiro

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *