Início » Internacional » Suprema Corte dos EUA vai analisar plano de Obama para imigrantes
ESTADOS UNIDOS

Suprema Corte dos EUA vai analisar plano de Obama para imigrantes

Tribunal do Texas contestou constitucionalidade de novo programa

Suprema Corte dos EUA vai analisar plano de Obama para imigrantes
Suprema Corte aceitou analisar a legalidade dos decretos assinados pelo presidente Barack Obama(Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Segundo o Pew Research Center, cerca de 11 milhões de imigrantes em situação ilegal vivem nos Estados Unidos. Quase a metade do total dos imigrantes ilegais é de origem mexicana e metade vive no país há mais de 13 anos.

Logo, uma decisão tomada nesta terça-feira, 19, pelo mais alto tribunal dos EUA, a Suprema Corte, pode ser um avanço na questão da imigração. O tribunal aceitou analisar a legalidade dos decretos assinados pelo presidente Barack Obama sobre alívio migratório em novembro de 2014, medidas que se encontram bloqueadas na Justiça.

A principal medida destes decretos é permitir a regularização de 4 a 5 milhões de imigrantes em situação irregular que têm filhos americanos. Com este novo programa, os imigrantes sem documentos poderiam solicitar uma permissão de trabalho de três anos, e uma proteção contra a deportação.

Embora a Casa Branca tenha insistido que os decretos foram uma necessidade diante da incapacidade do Congresso de legislar sobre o tema, as medidas foram suspensas depois que um tribunal federal do Texas questionou sua constitucionalidade, alegando que Obama se excedeu em suas atribuições.

Uma aliança de 26 estados, liderado pelo procurador-geral do estado do Texas, Ken Paxton, questionou a legalidade dos decretos, alegando que o presidente invadiu uma atribuição que é exclusiva do Congresso.

 

Fontes:
G1-Suprema Corte dos EUA vai analisar plano de Obama para imigrantes

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *