Início » Internacional » Suspeitos de ataque a ‘Charlie Hebdo’ invadem fábrica e fazem ao menos um refém
Caso Charlie Hebdo

Suspeitos de ataque a ‘Charlie Hebdo’ invadem fábrica e fazem ao menos um refém

Irmãos Kouachi entraram numa pequena gráfica numa região ao norte do país, onde mantêm ao menos um refém

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Os dois suspeitos do atentado ao jornal de humor “Charlie Hebdo”, os irmãos Chérif e Said Kouachi, estão sitiados em uma fábrica na região industrial de Dammartin-en-Goêle, em Seine-et-Marne, no norte da França, onde mantêm ao menos um refém. Os homens entraram na Gráfica Création Tendance Decouverte, uma empresa com pouco mais de cinco funcionários, nesta sexta-feira, 9, às 8h30, horário local  (5h30 em Brasília).

Leia também: Suspeitos de ataque em Paris integram listas antiterrorismo dos EUA
Leia também: O Islã precisa de um Martinho Lutero?

Leia também: Morte à sátira
Leia também:Veja as capas mais polêmicas do jornal francês ‘Charlie Hebdo’

Foram ouvidos disparos assim que os Kouachi ocuparam o local. Nas primeiras tentativas de negociação com a polícia, os irmãos teriam afirmado que querem “morrer como mártires”. A área foi totalmente interditada pela polícia francesa e moradores foram orientados a não saírem de suas casas até o fim do cerco. Escolas da região devem manter os alunos dentro de sala de aula até o fim das negociações.

O suposto refém ainda não foi identificado, mas suspeita-se de que seja uma homem de 28 anos que estaria na gráfica no momento da invasão. A família do funcionário não conseguiu contato com ele.

Antes de chegarem à gráfica, os suspeitos renderam um motorista e roubaram um carro. O motorista os reconheceu e entrou em contato com a polícia. Após uma perseguição, os agentes encurralaram os terroristas, que invadiram a fábrica para se esconder.

Fontes:
O Globo-Suspeitos de ataque a 'Charlie Hebdo' teriam declarado desejar 'morrer como mártires'

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. jovelino bispo vieira disse:

    Acabo de ver o noticiario,os policiais franceses que enfrentaram e eliminaram os terroristas foram homenageados como herois, se fosse no Brasil eles estariam sendo processados e criticados por comissoes de direitos humanos ligados a esquepatas como a “Santa protetora dos bandidos” a MARIA DO ROSARIO, ela estaria dando “chilique” acusando os policiais por “uso excessivo de forca”

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *