Início » Internacional » Taxis azuis e amarelos: cor influencia na probabilidade de acidentes
CINGAPURA

Taxis azuis e amarelos: cor influencia na probabilidade de acidentes

Um novo estudo de pesquisadores da Universidade Nacional de Cingapura descreveu por que os táxis amarelos sofrem menos acidentes do que os azuis

Taxis azuis e amarelos: cor influencia na probabilidade de acidentes
A diferença em relação à segurança entre as duas frotas era causada por suas respectivas cores (Foto: Wikimedia)

Em um estudo recém-publicado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences, Ho Teck Hua, da Universidade Nacional de Cingapura e seus colegas mostraram que os táxis amarelos se envolviam menos em acidentes do que os azuis.

A pesquisa de Hua baseou-se na fusão, em 2002, de duas empresas de táxi de Cingapura. Uma das empresas tinha uma frota amarela. Na outra os carros eram azuis. A empresa resultante da fusão manteve essa tradição bicromática. Hoje, tem 4.175 táxis amarelos e 12.525 azuis. Todos são do mesmo modelo Hyundai Sonata e submetem-se à mesma rotina de manutenção. Portanto, Hua concluiu que a diferença em relação à segurança entre as duas frotas era causada por suas respectivas cores.

A equipe de pesquisadores analisou dados coletados durante três anos pela empresa. Segundo as informações, os táxis azuis estavam envolvidos em uma média de 71,7 acidentes por cada mil veículos por mês, enquanto os amarelos tinham uma média de 65,6. Ou seja, os táxis amarelos tinham menos 9% de probabilidade de sofrerem um acidente.

Os dados mostraram que os motoristas dos táxis amarelos dirigiam de maneira idêntica à dos táxis azuis. Então, os pesquisadores examinaram relatórios detalhados de acidentes e as condições de iluminação em que ocorreram. A partir dessa análise eles pensaram em duas hipóteses.Em seguida, para confirmar que a incidência de acidentes não se referia ao desempenho dos motoristas dos táxis, Hua e seus colegas fizeram uma escolha aleatória de um quinto do número total de motoristas e estudaram o comportamento deles por meio dos dados coletados pelo sistema de rastreamento de veículos via satélite instalado nos táxis.Esse sistema registrava, a cada 15 segundos, a localização do táxi e seu status (livre, transportando um passageiro ou parado por algum motivo).

Em primeiro lugar, se a cor amarela tinha um efeito protetor, um táxi amarelo teria uma incidência menor de acidentes do que o azul, quando estivesse no campo de visão do motorista envolvido na colisão. Essa hipótese se confirmou.

Em razão do pouco contraste do azul em um fundo escuro, a cor amarela tem um destaque especial à noite. Quando os pesquisadores compararam os acidentes ocorridos nos três tipos de condições de iluminação (luz do dia, luz de rua e sem luz) descritos nos relatórios de acidentes, eles descobriram que à noite, com a iluminação da rua, os táxis amarelos sofriam 4,5 menos acidentes por cada mil veículos por mês. Com base nessas descobertas, Hua calculou que se a empresa mudasse a cor de toda a sua frota para amarelo, ao longo de um ano teria menos 917 acidentes e economizaria cerca de S$2 milhões (US$1,4 milhão).

Fontes:
The Economist-Yellow cabs are less likely to crash than blue ones

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Manoel da Silva disse:

    Em Portugal uma pesquisa semelhante descobriu que os taxis dirigidos por Manoeis chegavam no destino em 70 de cada 100 corridas. Ja os taxis dirigidos pelos Joaquins, chegavam em apenas 40 de 100 destinos. O motivo, segundo os pesquisadores lusitanos, era que no meio da corrida ambos os taxistas, reclamavam da voz chata da garota do Wase e desligavam o celular para não ouvirem a voz e consequentemente se perdiam no meio do trajeto levando seus passageiros a destinos bem diferentes daqueles os quais foram contratados.

  2. Áureo Ramos de Souza disse:

    Esse estudo é para quem não tem o que fazer, tem nada haver quanto a cor e quando os taxis não tinha cor especifica, não acontecia acidente.

  3. Carlos Valoir Simões disse:

    Foi feito um estudo parecido em Porto Alegre, onde os táxis são vermelhos. A conclusão a que se chegou é que os outros carros ficavam longe dos carros vermelhos, porque viam que era um táxi e o proprietário quase sempre deixava de contratar o Seguro de responsabilidade civil é obrigatório.

  4. Markut disse:

    Parece óbvio demais, mas precisou uma acurada pesquisa para confirmá-la.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *