Início » Internacional » Testes genéticos podem inibir o desmatamento ilegal
Setor madeireiro

Testes genéticos podem inibir o desmatamento ilegal

Empresa baseada em Cingapura usa testes de DNA para indicar a origem de um pedaço de madeira

Testes genéticos podem inibir o desmatamento ilegal
Teste de DNA em pedaços de madeira é uma boa notícia para as florestas (Reprodução/Internet)

Digamos que você queira comprar uma mesa. No entanto, você se importa com orangotangos, povos indígenas e emissões de carbono, de forma que você não quer que ela seja feita com madeira oriunda de desmatamentos ilegais. Ou digamos que você administre uma rede de lojas de móveis e não queria ir para a cadeia por comprar madeira ilegal. Nos dois cenários você enfrenta o desafio de como saber se dada madeira tem origem legal.

Eis que surge a solução proposta pela DoubleHelix Tracking Technologies, uma empresa baseada em Cingapura que usa testes de DNA para indicar a origem de um pedaço de madeira. “Não é possível forjar DNA”, afirma Andrew Lowe, o cientista chefe da empresa. A empresa oferece seus serviços para grandes varejistas.

John Simon, o presidente da Simmonds Lumber, outro cliente da DoubleHelix, explica como a técnica funciona. A sua empresa, uma importadora de madeira australiana, costumava depender de uma grande quantidade de documentos nos negócios de compra de merbau, uma valiosa madeira de lei da Indonésia. Dada a facilidade de falsificar certificados de origem, era difícil ter certeza sobre a origem da madeira. Agora, graças a DoubleHelix, Simmonds pode provar que uma tora de merbau usada para a produção de móveis na Austrália de fato vem de uma área específica (e legal) da Indonésia.

Trata-se de uma má notícia para o setor de desmatamento ilegal, atividade que movimenta 30 bilhões de dólares ao ano, e de uma boa notícia para as florestas.

Fontes:
The Economist - Seeing the wood for the trees

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *