Início » Internacional » Theresa May acusa a Rússia pelo envenenamento de ex-espião
TENSÃO ELEVADA

Theresa May acusa a Rússia pelo envenenamento de ex-espião

A Rússia, por sua vez, negou as acusações e convocou o embaixador russo à capital do país

Theresa May acusa a Rússia pelo envenenamento de ex-espião
May parece convicta de que os russos estão envolvidos no envenenamento de Sergei Skripal (Foto: Flickr)

O envenenamento do ex-espião da Rússia Sergei Skripal no Reino Unido elevou a tensão entre os países. Enquanto a primeira-ministra britânica, Theresa May, atribuiu a tentativa de assassinato aos russos na última segunda-feira, 12, o governo de Moscou negou as acusações e convocou o seu embaixador no Reino Unido, Laurie Bristow, através do Ministério de Relações Exteriores, à capital do país.

Sergei Skripal, de 66 anos, teria sido envenenado juntamente com a sua filha Yulia, de 33 anos, no início de março. Ambos foram encontrados inconscientes em um banco perto de um parque da cidade de Salisbury, na Inglaterra, e seguem internados. Para o envenenamento, teriam sido usadas, segundo cientistas britânicos, substâncias tóxicas conhecidas como Nochikov, fabricadas na antiga União Soviética no fim da Guerra Fria.

De acordo com a porta-voz do Ministério de Relações Exteriores russo, Maria Zakharova, as afirmações de Theresa May no Parlamento britânico a respeito do envolvimento da Rússia foram “um show circense”. Zakharova categorizou as palavras da primeira-ministra britânica como uma “campanha política e de informação baseada na provocação”.

No entanto, May parece estar segura de suas informações, afirmando, inclusive, que o embaixador russo no Reino Unido tem até o fim desta terça-feira, 13, para confirmar ou negar o envolvimento da Rússia na tentativa de homicídio. “Ou foi um ato direto do Estado russo contra o nosso país, ou o governo russo perdeu o controle desse agente nervoso que pode ser catastroficamente prejudicial e permitiu que ele caísse nas mãos de terceiros”, disse May.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, garantiu, durante uma entrevista coletiva, que a Rússia não é responsável pelo atentado ao ex-espião russo. Além disso, adiantou que o governo de Moscou não irá cumprir o prazo estabelecido por May. Segundo o ministro, o Reino Unido negou o acesso dos russos às amostras do agente químico usado em Skripal.

“Nós já fizemos nossa declaração sobre este caso. A Rússia está pronta para cooperar de acordo com a convenção para proibir armas químicas se o Reino Unido se dignar cumprir suas obrigações de acordo com a mesma convenção”, afirmou Lavrov, exigindo o acesso ao agente químico. Ademais, o ministro disse que a Rússia teria, segundo a convenção da proibição de armas químicas, dez dias para responder o Reino Unido após uma acusação oficial.

Não é a primeira vez que um ex-agente russo foi atacado em solo britânico. Em 2006, em Londres, Alexander Litvinenko foi envenenado pela substância radioativa polônio-210, colocada em sua xícara de chá em um hotel, morrendo em seguida.

Na época, o Reino Unido adotou sanções e expulsões diplomáticas para punir a Rússia pelo ocorrido. Porém, desta vez, se comprovado o envolvimento de Moscou, May promete ser mais dura, adotando “medidas muito mais extensivas”.

O vice-chefe do Comitê de Assuntos Estrangeiros do Conselho da Federação Russa, Andrei Klimov, em entrevista por telefone ao jornal Guardian, relembrou os casos antigos de ataques a russos no Reino Unido e emitiu um aviso.

“Eu gostaria apenas de dizer aos russos que esperam se esconder na Grã-Bretanha da ‘maldade dos russos’ uma coisa: será muito inseguro para vocês. Há muito tempo se tornou um lugar onde coisas ruins acontecem. Isso não é culpa de Moscou, está acontecendo algo ali”, afirmou Klimov.

A tensão internacional ocorre em um momento delicado para a Rússia, com as eleições, que possivelmente elegerão Vladimir Putin para seu quarto mandato, previstas para o próximo domingo, 18. No entanto, as relações internacionais nunca pareceram afetar a popularidade do presidente russo dentro do seu território, tendo enfrentado inúmeros escândalos recentemente, mas seguindo como uma forte imagem diante da população russa.

Sergei Skripal

Antigo coronel de espionagem militar russa, Skripal foi condenado a 13 anos de prisão pelo crime de alta traição, sendo acusado de ter colaborado com a espionagem britânica do MI6 durante os anos 1990. Porém, o ex-agente foi libertado em 2010, em uma troca com espiões russos presos nos Estados Unidos.

Após deixar a prisão, Skripal foi para o Reino Unido, onde estabeleceu uma vida aparentemente tranquila em Salisbury, até a tentativa de homicídio ocorrida no início de março.

 

Leia também: Envenenamento de espião russo pode mudar as regras pós-Guerra Fria

Fontes:
The Guardian-Russia demands nerve agent samples in standoff with UK over poisoned spy
DW-May acusa russos de envenenar ex-espião

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Beraldo disse:

    Que grande acusação.

    Isto acontece há 100 anos, em todos os lados.

    Ora Rússia, ora China, ora Reino Unido, ora…

    Teatro para bipolarizar novamente o “Ocidente” com a Rússia, em tempos de Donald Trump.

    Grande bobagem, mesmo porque hoje tem o poderoso protagonismo da China.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *