Início » Internacional » Trump apela a discurso na TV para pressionar por muro
ESTADOS UNIDOS

Trump apela a discurso na TV para pressionar por muro

Em discurso, Trump apresentou seus antigos argumentos, apontando que o muro é necessário para deter a entrada ilegal de imigrantes nos EUA

Trump apela a discurso na TV para pressionar por muro
Impasse sobre o muro faz o Congresso chegar ao 18º dia de paralisação (Foto: Reprodução/White House)

Ainda sem resposta do Congresso sobre a construção do muro na fronteira com o México, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, apelou à TV para fazer um discurso por essa que é uma de suas promessas de campanha.

A intenção do presidente é pressionar os parlamentares a reabrir o Congresso e conceder os US$ 5,7 bilhões exigidos por Trump para a construção do muro. A exigência travou a negociação do orçamento dos EUA, acarretando a paralisação das atividades de um quarto do governo federal.

O Congresso dos Estados Unidos já está parcialmente fechado há 18 dias, no que já é considerado o “shutdown” mais longo da história. Sempre priorizando as informações pelas redes sociais, Trump contou com o alcance televisivo para tentar conquistar apoio público para a construção do muro e dar fim à paralisação do governo.

O discurso foi transmitido pelas redes sociais e pela televisão na noite da última terça-feira, 8, (a fala completa de Trump está no final desta reportagem do Opinião e Notícia). Ao longo de sua fala, o presidente americano apresentou seus antigos argumentos, apontando que o muro é necessário para deter a entrada ilegal de imigrantes nos Estados Unidos.

“Todos os dias, agentes aduaneiros e de proteção de fronteiras encontram milhares de imigrantes ilegais tentando entrar em nosso país. Estamos sem espaço para mantê-los, e não temos como devolvê-los de volta ao seu país. Os EUA orgulhosamente recebem milhões de imigrantes legais que enriquecem nossa sociedade e contribuem para nossa nação, mas todos os americanos são prejudicados pela migração ilegal descontrolada”, afirmou Trump.

Trump classificou a situação na fronteira mexicana como uma “crise humanitária”. Além de falar sobre o muro, o chefe de Estado criticou os democratas que estão barrando a verba para a construção, afirmando que os parlamentares estão deixando criminosos entrarem no país.

“Esta é uma crise humanitária. Uma crise do coração e uma crise da alma. No mês passado, 20.000 crianças migrantes foram levadas ilegalmente para os Estados Unidos, um aumento dramático. Essas crianças são usadas como peões humanos por coiotes viciosos e gangues implacáveis. Uma em cada três mulheres é agredida sexualmente na perigosa caminhada pelo México. Mulheres e crianças são as maiores vítimas, de longe, do nosso sistema quebrado”, destacou Trump.

O impasse no Congresso americano tem deixado o clima mais tenso entre republicanos e democratas. Cerca de 800 mil funcionários estão de licença por conta da paralisação ou trabalhando sem remuneração.

Os parlamentares que integram o partido Democrata rebatem as afirmações de Trump no que diz respeito ao “shutdown”, afirmando que o verdadeiro culpado pela paralisação do Congresso é o presidente americano.

Também na última terça-feira, a presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, a democrata Nancy Pelosi, apelou à TV para acusar Trump de instigar o medo na população americana e de tentar ridicularizar os democratas. O discurso foi reforçado pelo senador Chuck Shumer.

“O fato é que as mulheres e crianças na fronteira não são uma ameaça à segurança. Eles são um desafio humanitário, um desafio que as políticas cruéis e contraproducentes do presidente Trump apenas aprofundaram. E o fato é que o presidente Trump deve parar de manter o povo americano como refém e parar de fabricar uma crise, e deve reabrir o governo”, apontou a presidente da Câmara.

A Câmara, com a maioria democrata, chegou a aprovar o orçamento, o que daria fim ao “shutdown”, mas Trump anunciou que vetaria o acordo se não houvesse dinheiro para o muro. O presidente americano pede US$ 5,7 bilhões para a construção, mas Pelosi já afirmou que vai não ceder financiamento para a obra.

“O fato é que no primeiro dia deste Congresso, os democratas da Câmara aprovaram a legislação republicana do Senado para reabrir o governo e financiar soluções de segurança de fronteira inteligentes e eficazes. Mas o presidente está rejeitando essas leis bipartidárias que reabririam o governo por causa de sua obsessão em forçar os contribuintes americanos a gastarem bilhões de dólares em um muro caro e ineficaz, um muro que ele sempre prometeu que o México pagaria”, relembrou Nancy Pelosi.

Caso os democratas realmente não cedam à pressão de Trump, o presidente já ameaçou declarar emergência nacional, prosseguindo com a construção sem o apoio do Congresso. No entanto, a arriscada medida poderia causar um choque constitucional, segundo analistas.

Já especialistas jurídicos defendem que o presidente tem um caso plausível, o que justificaria a declaração de emergência, mas o impasse, provavelmente, seria definido na Justiça. No entanto, nem mesmo alguns republicanos concordam com a declaração de emergência nacional.

O fato é que a maioria da população já culpa Trump pela paralisação do governo. Segundo uma pesquisa da Reuters, 51% dos americanos apontam que o presidente “merece a maior parte da culpa”. Enquanto isso, 32% das pessoas culpam os parlamentares democratas pelo “shutdown”.

Trump planeja ir à fronteira do Texas com o México na próxima quinta-feira, 10. Mesmo com a intenção de chamar a atenção pública ao local, Trump já admitiu, a pessoas próximas, que dificilmente mudará algo desta forma.

Muro necessário?

Uma de suas mais conhecidas promessas de campanha, Trump continua insistindo na possível construção do muro na fronteira com o México. Para o chefe de Estado, isso iria aumentar a segurança dos Estados Unidos, barrando parte dos imigrantes ilegais que entram no país.

Analistas concordam que existem problemas migratórios a serem resolvidos nas passagens da fronteira. No entanto, números apontam que o acesso de migrantes, pela fronteira, está em declínio há quase 20 anos. Ademais, a maioria da heroína, uma das drogas mais danosas aos seres humanos, chega através de portos legais, não tendo nenhuma ligação com fronteiras.

President Trump Addresses the Nation

WATCH LIVE as President Trump Addresses the Nation

Posted by The White House on Tuesday, January 8, 2019

 

Leia também: Casa Branca propõe substituir material de muro na fronteira

Fontes:
The New York Times-Trump’s National Address Escalates Border Wall Fight
The New York Times-Full Transcripts: Trump’s Speech on Immigration and the Democratic Response

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *