Início » Economia » Trump cancela ida de equipe econômica a Davos
ESTADOS UNIDOS

Trump cancela ida de equipe econômica a Davos

Presidente americano já havia anunciado que não compareceria ao Fórum Econômico Mundial, mas iria enviar uma equipe de representantes

Trump cancela ida de equipe econômica a Davos
O Fórum Econômico Mundial acontece em Davos entre os dias 22 e 25 de janeiro (Foto: Tia Dufour/White House)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, cancelou a ida da comitiva americana ao Fórum Econômico Mundial. O motivo seria a paralisação do governo americano, que já dura 27 dias, conforme informou a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, na última quinta-feira, 17.

“Em consideração aos 800 mil trabalhadores americanos que não estão recebendo pagamento e para garantir que sua equipe possa ajudar como necessário, o presidente Trump cancelou a viagem ao Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça”, afirmou Sanders, através de um comunicado.

O Fórum Econômico Mundial acontece em Davos, na Suíça, entre os dias 22 e 25 de janeiro. A equipe dos Estados Unidos seria liderada pelo secretário de Tesouro, Steven Mnuchin. Ademais, o secretário de Estado, Mike Pompeo; o secretário de Comércio, Wilbur Ross; o representante de Comércio, Robert Lighthizer; e o assistente do presidente Donald Trump, Chris Liddell, integrariam a equipe.

O cancelamento da viagem ocorre uma semana após Trump afirmar que não participaria do evento devido ao shutdown – como é chamada a paralisação do governo americano. “Por causa da intransigência dos democratas sobre a segurança da fronteira e a grande importância da segurança para nossa nação, eu respeitosamente cancelo minha viagem muito importante a Davos”, escreveu no último dia 10 de janeiro.

Tensão política aumenta

O cancelamento da viagem a Davos aconteceu horas depois que o presidente Trump, através de uma carta direcionada à presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, a democrata Nancy Pelosi, adiou a viagem da parlamentar a Bruxelas.

Pelosi tinha planos de viajar à Bruxelas, Egito e Afeganistão durante sete dias. No entanto, Trump argumentou que a viagem só vai ocorrer depois que a paralisação do governo chegar ao fim. “Obviamente, se você quiser fazer sua viagem em voos comerciais, isso certamente seria sua prerrogativa”, sugeriu Trump.

A presidente da Câmara iria, juntamente com outros parlamentares, à Bruxelas para se reunir com líderes da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Já no Afeganistão, a parlamentar democrata iria visitar as tropas americanas.

“À luz dos 800 mil trabalhadores americanos que não recebem pagamento, tenho certeza que você concordaria que adiar esse evento de relações públicas é totalmente apropriado. Eu também sinto que, durante este período, seria melhor se você estivesse em Washington negociando comigo e se juntando ao movimento Strong Border Security para acabar com o shutdown”, escreveu o presidente.

O Congresso dos Estados Unidos está parcialmente fechado há 27 dias, desde o dia 22 de dezembro, no que é considerado o “shutdown” mais longo da história. A paralisação foi iniciada depois que os congressistas não chegaram a um acordo sobre as exigências de Trump para o orçamento.

A Câmara, com a maioria democrata, chegou a aprovar o orçamento, o que daria fim à paralisação, mas Trump anunciou que vetaria o acordo se não houvesse dinheiro para o muro. O presidente americano pede US$ 5,7 bilhões para a construção, mas Pelosi já afirmou que vai não ceder financiamento para a obra.

 

Leia também: Trump apela a discurso na TV para pressionar por muro
Leia também: Casa Branca propõe substituir material de muro na fronteira

Fontes:
Fox News-Trump cancels US delegation’s trip to Davos summit, Sanders says
DW-Trump cancela viagem de delegação americana a Davos

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *