Início » Internacional » Trump chama senadora democrata de ‘Pocahontas’
PROVOCAÇÃO

Trump chama senadora democrata de ‘Pocahontas’

Provocação não foi bem aceita pela senadora Elizabeth Warren e pela Aliança das Tribos da Era Colonial

Trump chama senadora democrata de ‘Pocahontas’
Provocação ocorreu durante solenidade em homenagem a veteranos indígenas (Foto: Flickr/Gage Skidmore)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, provocou a senadora democrata Elizabeth Warren durante uma cerimônia de homenagem aos veteranos indígenas da Segunda Guerra Mundial, ocorrida na última segunda-feira, 27, no Congresso americano. Na ocasião, Trump chamou Warren de “Pocahontas” devido a sua ascendência indígena.

Na solenidade, Trump recebeu três importantes combatentes da Segunda Guerra. Na época do conflito, os indígenas criaram um código baseado em seu idioma para enviar mensagens cifradas, impedindo que os nazistas entendessem o conteúdo do comunicado, mesmo que o interceptassem.

“Vocês já estavam aqui muito antes que qualquer um de nós. No entanto, temos uma representante no Congresso que, dizem, estava aqui há muito tempo. Eles a chamam de ‘Pocahontas’. Mas, eu gosto de vocês”, provocou o presidente após elogiar os ex-combatentes.

A democrata liberal Elizabeth Warren é uma das principais opositoras de Donald Trump, tendo sido também conselheira do ex-presidente Barack Obama antes de se eleger para o senado americano, em 2012. Na época, ela revelou em uma entrevista concedida à Associated Press a sua herança indígena, descoberta através de seus pais.

“Isso deveria ser um evento para honrar heróis, gente que apostou tudo pelo nosso país, que, com seu incrível trabalho, salvou a vida de inúmeros americanos e nossos aliados.  É profundamente lamentável que o presidente dos EUA não consiga passar uma cerimônia que honre esses heróis sem ter que lançar uma injúria racial”, falou Warren, após a solenidade, ao saber da provocação do presidente Trump.

A cerimônia de homenagem aos três ex-combatentes da tribo americana Navajo foi realizada em frente ao quadro com a imagem do presidente americano Andrew Jackson, que, em 1830, assinou uma ordem de expulsão de nativos de suas terras ancestrais, o que resultou na morte de milhares de pessoas.

A assessora de imprensa da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, saiu em defesa de Trump, afirmando que o presidente não fez qualquer tipo de ofensa à senadora. Ademais, Sanders declarou que Warren está errada, pois “ofensivo é a senadora Warren mentir sobre sua herança (indígena) para promover a carreira”.

Porém, a senadora democrata parece ter o apoio de líderes nativos americanos, que classificaram as afirmações de Trump como ofensivas e desagradáveis. Com isso, na última segunda-feira, 27, a Aliança das Tribos da Era Colonial – representantes das tribos americanas que entraram em contato com colonos europeus – denunciou o presidente por usar o nome “Pocahontas” como uma forma de insulto.

“Os nomes indígenas americanos, sejam eles históricos ou contemporâneos, não devem ser utilizados como ofensa. Fazer isso é reduzi-los a insultos racistas”, afirmou a aliança.

Pocahontas, que serve como inspiração para várias histórias literárias e cinematográficas até hoje, é o nome de uma princesa ameríndia do século XVII, filha do chefe indígena Powhatan. Muitas são as lendas envolvendo a indígena, mas acredita-se que ela salvou o colono inglês John Smith ainda no início de sua adolescência.

Fontes:
DW - Trump chama senadora de Pocahontas em cerimônia para nativos

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *