Início » Internacional » Trump e Putin se encontram em Helsinque
CÚPULA NA FINLÂNDIA

Trump e Putin se encontram em Helsinque

Presidentes de EUA e Rússia participaram de um almoço e tiveram uma conversa privada de quase duas horas

Trump e Putin se encontram em Helsinque
Líderes discutem as eleições de 2016, a guerra na Síria e desnuclearização (Foto: Kremlin.ru)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Os presidentes dos EUA, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin, se encontraram pela primeira vez nesta segunda-feira, 16, em Helsinque, capital da Finlândia.

timing da cúpula é constrangedor. Ela ocorre apenas dois dias após 12 agentes da inteligência russa serem acusados por um júri americano de terem hackeado democratas durante as eleições americanas de 2016. “Não conheço toda a extensão da situação. O presidente Trump mencionou essa questão. Vou investigar”, afirmou Putin durante a coletiva de imprensa após o encontro.

Pouco antes da cúpula, Trump postou em sua conta no Twitter que as relações entre os dois países “nunca foram tão ruins graças a anos de estupidez nos EUA” e culpou o ex-presidente Barack Obama por não ter agido para impedir a interferência russa nas eleições. O Ministério de Relações Exteriores da Rússia compartilhou a mensagem, concordando com as afirmações.

Já no Salão de Espelhos do Palácio Presidencial em Helsinque, Trump participou de um almoço com Putin, acompanhados de representantes de ambos os países. Após o almoço, eles se dirigiram para o Salão Gótico, onde tiveram uma conversa privada que durou quase duas horas. Ambos estavam acompanhados de um intérprete.

“Eu considero os dois países responsáveis. Acho que os Estados Unidos foram tolos. Todos nós fomos tolos. Acho que somos todos os culpados. Acho que os Estados Unidos agora avançaram junto com a Rússia”, afirmou Trump sobre a tensão entre os países.

Logo em suas primeiras palavras, os presidentes demonstraram que têm capacidade de manter uma boa relação. Trump, mais uma vez, destacou que eles não têm mantido um contato tão próximo, mas demonstrou confiança em uma melhora. “Acho que vamos acabar tendo um relacionamento extraordinário”, destacou o americano.

Após o encontro a portas fechadas, os dois líderes seguiram para uma coletiva de imprensa, onde falaram de temas como as eleições americanas de 2016, a guerra na Síria, as relações com a China e o combate às armas nucleares.

“Eu tive que reiterar coisas que eu disse várias vezes, inclusive durante nossos contatos pessoais, que o Estado russo nunca interferiu e não vai interferir nos assuntos internos americanos, incluindo o processo eleitoral”, afirmou Putin sobre a suposta interferência da Rússia.

Trump, por sua vez, contrariou as avaliações das agências de inteligência, afirmando que não via motivos para a Rússia ter interferido. Em vez disso, o presidente americano insistiu sobre o servidor de e-mail do Comitê Nacional Democrata, colocando em dúvida o trabalho das agências federais.

Críticas a Trump

Diplomatas de aliados dos Estados Unidos ouvidos pela CNN não ficaram satisfeitos com o desempenho de Trump no encontro. Um diplomata apontou a postura do presidente americano como “uma abominação”, enquanto outro apenas disse que foi “assustador”. Um diplomata ucraniano também ouvido pela CNN não ficou feliz com a cúpula, admitindo certo desapontamento.

Os democratas também não pouparam Trump de críticas. Através das redes sociais, senadores atacaram a postura do presidente na tão aguardada reunião com Putin. “Este é um momento triste e vergonhoso para a nossa grande nação”, apontou o senador Tim Kaine.

Mas não apenas a oposição criticou o desempenho de Trump na reunião. Senadores do Partido Republicano também afirmaram que a postura de Trump foi “vergonhosa”. O senador Jeff Flake criticou Donald Trump por ter atribuído aos Estados Unidos a culpa pelo comportamento da Rússia. Já Lindsey Graham destacou que a cúpula foi uma “oportunidade perdida”.

O ex-diretor da CIA John Brennan foi ainda mais duro em suas críticas a Trump. Para Brennan, que se pronunciou através das redes sociais, a postura do presidente “não foi nada menos do que traição”. “Não só os comentários de Trump foram imbecis, ele está inteiramente no bolso de Putin”, criticou Brennan.

Rússia satisfeita

Se autoridades americanas não ficaram satisfeitas com o encontro, o mesmo não pode ser dito sobre os russos. O ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse que as conversas foram “magníficas”.

Putin seguiu a mesma linha de Lavrov. Para o presidente da Rússia, a reunião com Trump foi “realmente muito informativa e útil”. Ademais, Putin agradeceu ao presidente da Finlândia, Sauli Niinistö, por ter sediado a reunião.

 

Fontes:
CNN-Trump and Putin meet in Helsinki

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *