Início » Internacional » Trump pede por união entre democratas e republicanos
DISCURSO DO ESTADO DA UNIÃO

Trump pede por união entre democratas e republicanos

Em seu 1º discurso do Estado da União, Trump promete reforma migratória e de infraestrutura e exalta o fim da guerra ao carvão nos EUA

Trump pede por união entre democratas e republicanos
Discurso arrancou aplausos de republicanos e indiferença por parte de democratas (Foto: Flickr/The White House)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu por união entre republicanos e democratas em seu primeiro discurso do Estado da União, feito na noite da última terça-feira, 30. O discurso é feito anualmente em uma sessão conjunta no Capitólio, sede do Congresso americano, e serve para traçar um cenário atual do país e delinear a agenda política do ano.

“Esta noite, eu convoco todos nós a deixarmos as diferenças de lado, para buscar um lugar comum e a unidade que precisamos para servir às pessoas”, disse Trump, arrancado aplausos de republicanos e indiferença por parte de democratas.

Trump apresentou o que chamou de “sucesso extraordinário” de seu primeiro ano de gestão. Ele citou a criação de 2,4 milhões de postos de trabalho e afirmou que “após anos de estagnação, estamos finalmente vendo salários mais altos”.

O presidente americano também exaltou a reforma tributária aprovada recentemente pelo Congresso, que tem maioria republicana. Ele declarou que a reforma trouxe um “tremendo alívio” para a classe média e abriu oportunidades para empresários donos de pequenos negócios.

“Este é o nosso novo momento americano. A todos os cidadãos que estão nos assistindo, este é o seu momento. Se você trabalha duro e acredita em você e na América, você pode ser o que quiser. Juntos, podemos alcançar qualquer coisa”, disse o presidente americano.

Entre as principais propostas apresentadas por Trump para este ano, está aprovação da reforma migratória e uma reforma de infraestrutura orçada em US$ 1,5 trilhão.

A reforma migratória prevê a concessão de cidadania americana a 1,8 milhão de imigrantes hoje sem documentos que chegaram aos EUA ainda criança, a construção de um muro na fronteira com o México (uma de suas promessas de campanha), o fim do que ele chama de “loteria de vistos” (onde candidatos requerentes de vistos são selecionados aleatoriamente por um programa de computador) e a chamada “imigração em cadeia” (quando um imigrante traz mais parentes para o país).

“Por mais de 30 anos, Washington tentou e falhou em resolver este problema. Este Congresso pode ser aquele que finalmente fará isso acontecer”, disse Trump, afirmando ainda que décadas de fronteiras abertas no país permitiram a proliferação de armas, drogas e gangues que levaram à perda de “muitas vidas inocentes”.

Em relação ao plano de infraestrutura, Trump pediu aos dois partidos para se unirem para dar “a infraestrutura segura, rápida, confiável e moderna” ao país. “Estou pedindo aos dois partidos para se unirem para nos dar a infraestrutura segura, rápida, confiável e moderna que a nossa economia precisa e que a nossa população merece. […] Construiremos novas estradas, pontes, autoestradas, ferrovias e vias navegáveis em nossa terra. E nós faremos isso com o coração americano, as mãos americanas e o empenho americano”, disse Trump.

Segundo Trump, durante muito tempo, o país perdeu dinheiro em acordos comerciais ruins e ficou “submisso” a outras economias. Ele se comprometeu a revisar acordos ruins e trabalhar para arrumar novos acordos. “Nossa nação perdeu riqueza, mas isso vai acabar”, disse o presidente americano.

Trump também declarou que em sua gestão a guerra ao carvão chegou ao fim e exaltou a posição dos EUA como exportador de energia. “Encerramos a guerra à energia americana – e encerramos a guerra ao bonito e limpo carvão. Somos um exportador muito orgulhoso de energia ao mundo”, disse Trump.

O combate ao terrorismo também foi citado no discurso. Trump exaltou as conquistas da coalizão americana contra o Estado Islâmico na Síria, mas ressaltou que ainda há muito a se fazer.

“No ano passado, eu prometi que iríamos trabalhar duro com os nossos aliados para extinguir o Estado Islâmico (Isis) da face da Terra. Um ano depois, estou orgulhoso em dizer que a coalizão liberou quase 100% do território uma vez ocupado por esses assassinos no Iraque e na Síria. Mas ainda há muito trabalho a ser feito. Vamos continuar a nossa luta até que o Isis seja derrotado”, disse o presidente.

Trump também defendeu sua decisão de mover a embaixada americana em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, medida que gerou furor na comunidade árabe global em dezembro do ano passado. Ele também defendeu a ordem executiva assinada por ele também na terça-feira, para manter aberta a prisão de Guantánamo, em Cuba, uma medida que contraria a agenda de seu predecessor, Barack Obama, que planejava fechar a prisão.

Fontes:
The New York Times-First Trump State of the Union Speech Makes Appeal for Unity

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Almanakut Brasil disse:

    Os EUA precisam de um tranco maior do que o 11 de setembro de 2001, para cair na real!

    Talvez, a falha de San Andreas poderá melhorar a situação!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *