Início » Internacional » Trump se diz disposto a encontrar com presidente do Irã
MUDANÇA NO TOM

Trump se diz disposto a encontrar com presidente do Irã

Presidente americano diz que aceitaria se reunir com Hassan Rohani sem exigir qualquer pré-condição para o encontro

Trump se diz disposto a encontrar com presidente do Irã
Declaração vem na esteira da escalada de tensão entre EUA e Irã (Foto: Flickr/Creative Commons)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou na última segunda-feira, 30, que está disposto a se reunir com o presidente do Irã, Hassan Rohani, sem exigir qualquer pré-condição para o encontro.

A declaração foi dada a jornalistas em uma coletiva na Casa Branca. “Eu certamente me reuniria com o Irã se eles quiserem se reunir. Eu creio que, em breve, eles provavelmente desejarão se reunir. Estou pronto para isso a hora que eles quiserem. Sem pré-condições”, disse Trump.

A declaração vem na esteira da escalada de tensão entre os líderes, cujo estopim foi a saída dos EUA do acordo nuclear firmado com o Irã em 2015, após uma extensa negociação entre Irã, a gestão de Barack Obama e potências da União Europeia. Aliados e o governo de Teerã argumentam que o pacto tem bases sólidas e consistentes, mas Trump afirma que ele não impede o Irã de desenvolver armas nucleares.

Ao adotar um tom mais conciliador, se mostrando aberto a um encontro, Trump recorre à mesma abordagem de esticar a tensão até o ponto máximo, para, depois, propor a paz através do diálogo. Foi assim com a Coreia do Norte e, mais recentemente, com a Rússia.

No entanto, ainda não há sinais claros de que esta estratégia de negociação traz algum fruto. A Coreia do Norte, por exemplo, foi flagrada em imagens de satélite capturadas nas últimas semanas que indicam que o programa de mísseis no país segue em atividade. O fim do programa era uma das contrapartidas exigidas por Trump, em seu encontro com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, para reduzir as tensões com o governo de Pyongyang.

Já o recente encontro com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, também após um período de tensão, teve resultados vagos, apesar das declarações de boa vontade de ambos os lados.

A negociação com o Irã, no entanto, promete ser mais complexa, devido a uma série de fatores. Entre eles, está o novo fôlego obtido por parlamentares linha-dura do país que sempre se opuseram à negociação com os EUA, liderada pelo governo moderado de Rohani, por considerar que não se deve “confiar no império”, como apontou em uma ocasião o chefe do Parlamento iraniano, o conservador Ali Larijani.

Um dos representantes dessa vertente é o ex-presidente Mahmoud Ahmadinejad, que ensaiou uma volta ao poder ao tentar concorrer às eleições presidenciais deste ano, mas teve a candidatura negada pelo Conselho de Guardiões do país, órgão clerical responsável por aprovar os candidatos.

Além disso, aparentemente, há controvérsia dentro do próprio governo Trump. Isso porque as declarações do presidente afirmando não haver pré-condições para um encontro com Rohani foram contrariadas horas mais tarde, pelo secretário de Estado Mike Pompeo, segundo noticiou a rede CNN. Em entrevista à emissora americana CNBC, Pompeo listou uma série de pré-condições para um encontro entre os líderes.

“Se os iranianos demonstrarem comprometimento com mudanças fundamentais em como tratam sua própria gente, reduzirem seu comportamento maligno, concordarem que vale a pena entrar num acordo nuclear que, de fato, evite a proliferação, então o presidente disse que está pronto para sentar e ter uma conversa com ele”, disse Pompeo.

Completando o cenário complexo está governo iraniano, que, em reposta à declaração de Trump, expressou ter pré-condições para aceitar negociar com os EUA. “Respeitar os direitos da nação iraniana, reduzir hostilidades e retornar ao acordo nuclear são passos que devem ser dados para pavimentar o caminho acidentado de negociações entre o Irã e os EUA”, disse Hamid Aboutalebi, assessor de Rohani.

Escalada de tensão com o Irã

Recentemente, a tensão entre EUA e Irã levou a uma troca de ameaças entre Trump e Rohani. Em uma reunião com diplomatas iranianos, Rohani enviou um recado a Trump, ao comentar a atual agenda dos EUA para o Irã e os indícios de que o governo americano estaria tentando desestabilizar o governo islâmico iraniano.

“Sr. Trump, não brinque com a cauda do leão, isso só levaria ao arrependimento. Os Estados Unidos deveriam saber que a paz com o Irã é a mãe de toda paz, e a guerra com o Irã é a mãe de todas as guerras. Eles não estão em posição de incitar a nação iraniana contra segurança e os interesses do Irã”, disse Rohani.

Trump respondeu a declaração por meio de seu Twitter, em uma postagem feita totalmente em letras maiúsculas. “Nunca, jamais torne a ameaçar os EUA novamente, ou sofrerá as consequências como poucos conheceram ao longo da história. Já não somos um país que apoia suas palavras dementes de violência e de morte. Cuidado!”, escreveu Trump.

 

Leia mais: A inclinação de Trump a contradições
Leia mais: Entenda o impasse em torno do acordo nuclear com o Irã

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *