Início » Cultura » Um relato intenso e perturbador da vida no Terceiro Reich
Livro

Um relato intenso e perturbador da vida no Terceiro Reich

É a história de um homem sensível, destruído pela vida e desesperado, que se debate entre o ódio aos nazistas covardes, depravados e vulgares e um incrível instinto de sobrevivência

Um relato intenso e perturbador da vida no Terceiro Reich
A única esperança para os alemães do Norte como ele, escreveu, seria uma derrota rápida seguida pela ocupação britânica (Reprodução/AKG)

Os intelectuais alemães na década de 1930 confrontaram-se com uma difícil escolha entre o exílio e o perigo. Hans Fallada escolheu ficar na Alemanha. Mesmo com a perspectiva de uma guerra iminente, depois de anos de perseguições e humilhações, ele recusou a proposta de morar no exterior, com a esposa e os três filhos pequenos. Fallada amava demais a Alemanha para deixá-la. “Que tipo de alemão eu seria se optasse por uma vida mais fácil nesse momento de profundo sofrimento e ignomínia no país?”, escreveu.

Essas palavras foram escritas em uma prisão psiquiátrica em 1944, com uma letra minúscula e quase ilegível em um diário secreto. O resultado é um relato pungente da vida no Terceiro Reich. A Stranger in My Own Country: The 1944 Prison Diary só foi publicado em alemão em 2009, graças à extraordinária edição de texto de Jenny Williams e Sabine Lange, que decifraram o texto, elucidaram a estrutura deliberadamente confusa, e fizeram um cotejo do original com umtexto datilografado após a guerra, no qual o autor fez alguns comentários pessoais e suavizou o tom de certas passagens constrangedoras. Agora, com uma excelente tradução de Allan Blunden, o livro está disponível também em inglês.

É a história de um homem sensível, destruído pela vida e desesperado, que se debate entre o ódio aos nazistas covardes, depravados e vulgares e um incrível instinto de sobrevivência. A maior parte do diário consiste em pequenos relatos, descrições curtas e reflexões sobre as concessões desprezíveis e a degradação do regime nazista. “Oh, como eles nos sugaram! Roubaram a nossa alegria e felicidade, o sorriso e a amizade! E mergulharam o país em uma guerra desastrosa…destruíram nossas cidades e nossas famílias.” A única esperança para os alemães do Norte como ele, escreveu, seria uma derrota rápida seguida pela ocupação britânica.

Fontes:
The Economist-Right to write

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *