Início » Internacional » Uma foto que reacendeu o debate sobre a política do filho único na China
China

Uma foto que reacendeu o debate sobre a política do filho único na China

As metas do governo estão incentivando as autoridades chinesas a terem um comportamento abusivo com os cidadãos; mais responsabilidade seria uma solução melhor

Uma foto que reacendeu o debate sobre a política do filho único na China
O governo central da China baseia-se em uma ampla série de metas a serem cumpridas e esses objetivos determinam as perspectivas das autoridades locais (Reprodução/RexFeatures)

As fotografias de uma mãe deitada ao lado de um recém-nascido nu em um hospital distrital no norte da China poderiam ser um registro de um momento feliz. No entanto, uma observação mais minuciosa mostra que o bebê estava morto, assassinado no útero da mãe em um aborto forçado supervisionado por funcionários, que a haviam obrigado a se submeter ao aborto. A criança nasceria poucos meses depois. A fotografia mostra só a mãe; seria terrível mostrar também a imagem do bebê. Quando a família da jovem divulgou as fotografias on-line elas se tornaram o centro de um debate violento sobre a política do filho único no país e em relação aos mandatos rígidos, que estimularam os burocratas locais a provocar o aborto.

Os regimes autocráticos podem oprimir os cidadãos sem metas de desempenho, mas essas metas não são intrinsecamente uma má ideia. Muitas empresas bem administradas e governos usam as metas de desempenho em seu processo gerencial. Porém a combinação de autocracia e metas é perigosa, porque as autoridades têm a tendência de privilegiar seus objetivos acima de qualquer consideração, como o cumprimento da lei e a decência humana.

O governo central da China baseia-se em uma ampla série de metas a serem cumpridas e esses objetivos determinam as perspectivas das autoridades locais. Com a finalidade de reprimir os protestos e garantir o cumprimento da política do filho único as metas são quase sempre de “veto”. Um funcionário que não consegue cumprir essas metas em teoria não é promovido, o que equivale a uma punição.

Fontes:
The Economist-Off target

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *