Início » Internacional » Vaticano suaviza postura com relação a gays e divórcio
Efeito Francisco

Vaticano suaviza postura com relação a gays e divórcio

Documento assinado por bispos católicos pede que a Igreja acolha gays, divorciados e aqueles que formaram famílias fora do casamento

Vaticano suaviza postura com relação a gays e divórcio
O Papa Francisco participou do encontro dos bispos no Vaticano nesta segunda-feira, 13 (Reprodução/AP)

Em uma mudança acentuada de tom  da Igreja Católica que deve ser debatida em paróquias de todo o mundo, uma assembleia de bispos católicos convocada pelo Papa Francisco, no Vaticano, divulgou nesta segunda-feira, 13, um documento pedindo para a Igreja acolher e aceitar os gays, casais não casados ​​e aqueles que se divorciaram, bem como os filhos dessas famílias menos tradicionais.

O relatório dos bispos, lançado no meio de uma reunião histórica da Igreja, não muda a doutrina católica e ainda precisará ser submetido a uma revisão minuciosa. Mas é o primeiro sinal de que a Igreja pode seguir a orientação dada pelo Papa Francisco nos primeiros 18 meses de seu pontificado, deixando de condenar situações familiares não convencionais e inclinando-se para uma maior abertura e tolerância.

O relatório de 12 páginas escrito por um comitê escolhido por Francisco não abandona a doutrina da Igreja sobre o matrimônio, mas diz que os pastores devem reconhecer que há “aspectos positivos de uniões civis e da coabitação”. Isso é um afastamento surpreendente do ensino católico tradicional, que prega tais casais estão “vivendo no pecado.”

O relatório também diz que os gays têm “dons e qualidades para oferecer à comunidade cristã” e que alguns casais homossexuais fornecem uns aos outros “ajuda mútua a ponto do sacrifício” e “apoio precioso na vida de seus parceiros.”

 

Fontes:
The New York Times - Vatican Signals More Tolerance Towards Gays and Divorce

2 Opiniões

  1. Regina Caldas disse:

    Este passo da Igreja é uma colaboração importante para diminuir a discriminação,seja contra homo-sexuais, divorciados, mães solteiras. Se o Vaticano não discrimina, os católicos seguirão seu exemplo.

  2. olbe disse:

    Fico muito feliz com esta noticia, o Vaticanos se humaniza. Ninguém é gay por escolha própria é muito sofrido…e a religião deve ser a primeira a acolher os descriminados…isto é o verdadeiro cristianismo: o igreja não deve fechar as portas quando procurada pelos gays, pelos divorciados, pelas mães solteiras…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *