Início » Vida » Ciência » Via Láctea está repleta de ‘gordura espacial’
ESTUDO

Via Láctea está repleta de ‘gordura espacial’

Estudo aponta que a poeira cósmica existente na Via Láctea contém moléculas de gordura equivalentes a 40 trilhões de trilhões de pacotes de manteiga

Via Láctea está repleta de ‘gordura espacial’
O espaço interestelar tem uma fina poeira de ácidos graxos (Foto: Flickr/abdul/yunir)

O espaço entre as estrelas no interior das galáxias parece frio, escuro e vazio, mas, segundo a pesquisa de uma equipe de astrônomos o espaço interestelar, tem uma fina poeira de ácidos graxos, entre outras substâncias.

O estudo publicado no periódico Monthly Notices of the Royal Astronomical Society fornece a estimativa mais precisa da quantidade de “gordura espacial” na Via Láctea, com a criação de compostos à base de carbono em um laboratório. A equipe de pesquisadores australianos e turcos descobriu que a poeira cósmica da Via Láctea contém moléculas de gordura equivalentes a 40 trilhões de trilhões de pacotes de manteiga.

Tim Schmidt, professor de química da Universidade de Nova Gales do Sul, em Sydney, e coautor do estudo, disse que a poeira interestelar compõe-se de uma mistura de ácidos graxos, fuligem e silicato.

A conclusão do estudo ajudará os cientistas a descobrir a quantidade de carbono presente no espaço interestelar, um elemento químico essencial para a formação de estrelas e planetas.

As pesquisas atuais indicam que metade é composta de carbono em sua forma pura. O restante é constituído por hidrocarbonetos alifáticos e por naftaleno, o hidrocarboneto aromático comercialmente conhecido como naftalina.

Schmidt e seus colegas recriaram em laboratório o processo pelo qual o hidrocarboneto alifático se forma no fluxo de radiação electromagnética de um astro. Com o uso da espectroscopia os pesquisadores examinaram a intensidade da absorção da luz em determinados comprimentos de onda.

Eles descobriram que existem cerca de 100 átomos de hidrocarboneto alifático para cada um milhão de átomos de hidrogênio, o que representa entre um quarto e metade do carbono disponível na Via Láctea.

A equipe agora planeja calcular a quantidade de naftaleno presente no espaço interestelar. “É um estudo abrangente do ciclo de vida do carbono”, disse Schmidt.

A astrônoma Helen Fraser da Universidade Open destacou a importância do estudo da formação, evolução e dispersão da poeira interestelar na astronomia.De acordo com Fraser, a pesquisa revelou um número maior de moléculas gordurosas no espaço interestelar do que estudos anteriores. “As moléculas da poeira cósmica fornecem os elementos químicos que dão origem à vida”, acrescentou.

Fontes:
The Guardian-Space is full of dirty, toxic grease, scientists reveal

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *