Início » Internacional » Violência em protestos aumenta na Venezuela
ATOS CONTRA MADURO

Violência em protestos aumenta na Venezuela

Número de mortos no país chegou a 43 nesta terça-feira

Violência em protestos aumenta na Venezuela
Manifestante pega fogo após a explosão do tanque de gasolina da moto de um policial em Caracas (Fonte: Reprodução/AFP)

Após cerca de seis semanas de protestos contra o governo do presidente Nicolás Maduro, o número de mortos na Venezuela chegou a 43 nesta terça-feira, 16, a mesma cifra de vítimas fatais registradas durante os três meses da onda de manifestações de 2014 contra o mesmo governo.

Leia também: Dispara a mortalidade infantil na Venezuela
Leia também: A decadência da propaganda política na Venezuela

Vinte e seis das 43 pessoas que morreram até agora foram baleadas. Por causa da escassez de alimentos e remédios, os saques tornaram-se mais comuns nos protestos deste ano. A invasão de uma padaria em Caracas na madrugada do dia 21 de abril terminou com a morte de três pessoas baleadas e outras nove eletrocutadas.

Em 2014, as manifestações começaram a perder força após cerca de um mês e meio. Agora, no entanto, com a crise econômica mais acirrada e a divergência política entre governo e oposição, os dois lados se tornaram mais radicais e os protestos estão ainda mais violentos.

O presidente Nicolás Maduro reforçou, nesta terça, a emergência econômica decretada no ano passado com o objetivo de tentar resolver o desabastecimento no país. A medida permite que o Executivo altere o orçamento para a compra de alimentos e medicamentos sem necessidade de aprovação da Assembleia Nacional, que é dominada pela oposição desde janeiro de 2016.

O Conselho de Segurança da ONU deve se reunir nesta quarta-feira, 17, para analisar a situação política na Venezuela. Também haverá uma discussão sobre a crise venezuelana na OEA no próximo dia 31, embora Caracas tenha anunciado sua saída da organização.

Fontes:
Folha de S.Paulo - Número de mortos em protestos na Venezuela se iguala a onda de 2014

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *