Início » Internacional » Vladimir Putin, um czar do século XXI
RÚSSIA

Vladimir Putin, um czar do século XXI

Com o controle sobre a Rússia mais forte do que nunca, Putin gera incerteza do que será do país após seu último mandato

Vladimir Putin, um czar do século XXI
Putin é tido como o mais poderoso líder russo desde Stalin (Foto: Jon Berkeley/PA)

Dezessete anos após Vladimir Putin ascender como presidente da Rússia, seu controle sobre o país está mais forte do que nunca. O Ocidente, que ainda enxerga a Rússia sob a ótica pós-soviética, costuma se referir a Putin como o mais poderoso líder que o país já teve desde Stalin. Para muitos, o presidente russo é a personificação de um czar do século XXI.

Putin recebeu o título por mérito próprio, ao resgatar a Rússia do caos vivido na década de 1990 e tornar o país novamente relevante no cenário internacional. Porém, conforme se aproxima o centenário da Revolução de Outubro, fica mais claro que, se Putin tem as qualidades de um czar, tem também os defeitos.

Embora Putin expresse preocupação em relação às revoluções coloridas que varreram antigos países membros da União Soviética (URSS), é o seu último mandato que realmente desperta apreensão. Em 2018, Putin iniciará seu último mandato de seis anos como presidente da Rússia, após uma eleição que, ao que tudo indica, ele tem tudo para ganhar. Com o final de sua gestão se aproximando, começa a especulação sobre quem será o sucessor de Putin. E o fato de não haver nenhum candidato ao posto gera o temor de que, após a saída de Putin, a Rússia mergulhará em uma nova era de turbulência e agitação política.

Além disso, Putin reflete a ascensão do autoritarismo como uma repreensão ao triunfo liberal no mundo após o colapso da URSS. Foi a marca autoritária de Putin, que evoca o período imperial russo, que abriu caminho para a ascensão de outros líderes autoritários, como Recep Tayyip Erdogan, na Turquia, o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez e o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi.

Como um czar, Putin extrapolou os limites do clientelismo. Desde que investiu contra os oligarcas do país, ele assumiu o controle da mídia russa, bem como das gigantes de energia do país. Todo acesso ao poder e dinheiro passa por ele. Putin governa através de procedimentos legais, mas todos sabem que os tribunais da Rússia respondem a ele. Atualmente, ele tem uma popularidade de 80%, em parte porque conseguiu convencer a população da máxima que diz “sem Putin, não há Rússia”.

O que esse czar pós-moderno ensina para o mundo? Uma lição é referente à ameaça russa. Desde a anexação da Crimeia, o Ocidente vem temendo o revanchismo russo, especialmente nos Bálcãs. Outra lição é referente à sucessão. Putin não orquestrará sua saída passando o poder para algum familiar, como no período imperial, ou usando o aparato de seu partido, como faz o Partido Comunista da China. O mais provável é que ele indique um sucessor. Porém, ele precisa de alguém fraco o bastante para que possa controlar, e forte o suficiente para confrontar os rivais russos. Tal perfil será quase impossível de encontrar.

Fontes:
The Economist-A tsar is born

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Aída Paiva disse:

    Os textos sobre o presidente russo Vladimir Putin falam sempre
    a mesma coisa e do mesmo jeito. Proponho aos jornalistas que resolvam o problema de não ter o que falar mal do Putin porque não serão mais lidos. Uma das alternativas é começar a escrever a verdade com sinceridade sobre o político russo Vladimir Vladimirovitch Putin.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *