Início » Internacional » WikiLeaks revela novos números sobre mortes no Iraque
Gráfico

WikiLeaks revela novos números sobre mortes no Iraque

Documentos revelados pelo site podem ajudar a contabilizar civis mortos no conflito

WikiLeaks revela novos números sobre mortes no Iraque
Os números registrados em ambas as fontes podem estar abaixo do verdadeiro número de civis mortos

O WikiLeaks voltou a incomodar o Pentágono, ao publicar 400 mil documentos confidenciais sobre a guerra do Iraque. Jornais como o “Guardian”, o “New York Times”, o “Der Spiegel” e o “Le Monde”, receberam trechos dos documentos, mas ninguém ainda examinou todo o conteúdo revelado.  Essa é uma das diferenças entre as revelações do WikiLeaks e os “Papéis do Pentágono”, publicados pelo “New York Times”, durante a guerra do Vietnã.

Site revela tortura e morte de civis na Guerra do Iraque

Outra diferença é que os documentos, embora recheados de um conteúdo chocante, não trouxeram nenhuma grande surpresa, embora tenham se transformado numa nova fonte de informação sobre mortes de civis no conflito. Até então, vários jornais dependeram do Iraq Body Count, um site que tende a aumentar os números de baixas. É bem possível que os números registrados em ambas as fontes estejam bem abaixo do verdadeiro número de civis mortos no conflito.

O gráfico abaixo mostra o número de mortes de soldados da coalizão, soldados iraquianos, insurgentes e civis no Iraque, entre 2004 e 2009.

Leia mais:

Documento mostra que EUA adotaram estratégia correta no Afeganistão

WikiLeaks divulga documentos sobre o Brasil

Fontes:
Economist - Data dumping

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Antonio Campos Monteiro Neto disse:

    Reportando um erro de tradução: casuality = baixa (morte em guerra), e não casualidade, que no português significa “1. Qualidade do que é casual ou acidental. 2 Acaso, contingência, eventualidade.”

  2. Opinião e Notícia disse:

    Olá, Antonio. Obrigado pela observação. Corrigimos.

  3. adalberto soares de oliveira disse:

    guerra não, assassinato para roubar,e, impor a sua vontade em terra de outros, e, não e´so no iraque que os americanos do norte espalham o terror, todos os lugares que eles pisam é para aplicar o terror,e,o mundo todo é culpado tambem,porque quem acoita ladrão ladrão o é.
    grato

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *