Início » Internacional » É abolida a escravatura em todos os domínios portugueses
NESTA DATA

É abolida a escravatura em todos os domínios portugueses

Em 25 de fevereiro de 1869, foi decretada a lei que abolia a escravidão em Portugal e seus domínios

É abolida a escravatura em todos os domínios portugueses
A opinião europeia aos poucos eliminou o envolvimento de Portugal com o comércio internacional de escravos (Foto: Wikimedia)

Em 25 de fevereiro de 1869, a escravidão foi abolida em Portugal e todas as suas colônias. Em 19 de setembro de 1761, uma legislação do Marquês de Pombal impediu o transporte de escravos da África para Portugal. Em 16 de janeiro de 1773, foi aprovada uma legislação para emancipar os escravos negros vivendo em Portugal. O comércio foi proibido, mas a prática de manter escravos continuou no país. Apesar da lei, comerciantes de escravos eram frequentemente processados.

No século XIX, a opinião europeia aos poucos eliminou o envolvimento de Portugal com o comércio internacional de escravos. Em 1854, todos os escravos que eram propriedade do governo português foram libertados. Dois anos depois, todos os escravos das cidades, organizações religiosas e igrejas também foram libertados, assim como crianças nascidas de mães escravas.

Finalmente, o governo português, liderado pelo Marquês de Sá da Bandeira, passou a lei, em 25 de fevereiro de 1869, que abolia a escravidão em Portugal e todas as suas colônias.

Fontes:
Encyclopedia-Africa: Portuguese Colonies - SLAVERY, AFRICAN COLONIES IN THE AGE OF IMPERIALISM

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Ludwig Von Drake disse:

    O romance “Os Maias” de Eça de Queiroz, mostra que naquela época os portugueses reprovavam a escravidão mas não deixavam de tentar lucrar alguns Reis (pronuncia-se “Réis” com o “s” xiado) sempre que possível.
    Quanto ao Brasil, que aboliu a escravidão 20 anos depois – e isso custou o trono à família imperial – a escravidão prolongada criou uma mentalidade patrimonialista e patriarcal nas elites; e acomodada, subserviente e pouco produtiva de um modo geral.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *