Início » Nesta Data » Igreja anglicana nos EUA escolhe bispo gay
NESTA DATA

Igreja anglicana nos EUA escolhe bispo gay

A Igreja Episcopal dos Estados Unidos da América escolheu Gene Robinson para o cargo de bispo em 2003

Igreja anglicana nos EUA escolhe bispo gay
Gene Robinson em 2013 (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A igreja anglicana nos Estados Unidos vota no primeiro bispo gay assumido. O reverendo Gene Robinson, de New Hampshire, foi escolhido pela maioria na Igreja Episcopal dos Estados Unidos da América, a igreja anglicana. O resultado foi confirmado dois dias depois pelo Conselho de Bispos.

A decisão resultou numa reação raivosa de conservadores e de líderes religiosos nos Estados Unidos e no resto do mundo.

“Eu acho que posso fazer mais pelas gays e lésbicas na igreja sendo um bom bispo do que sendo um bispo gay”, disse. Ele é divorciado, tem dois filhos e vivia com seu parceiro há 14 anos.

Ele era bem popular na congregação de New Hampshire, não foi a toa que ele foi escolhido entre vários candidatos.

Após o resultado da eleição, tradicionalistas na África e na Ásia, continentes que possuem a maioria dos anglicanos do mundo, pediram que a Igreja Episcopal americana fosse expulsa da comunhão anglicana. No entanto, isto não aconteceu. Mas a polêmica da escolha do bispo foi considerada a pior crise da igreja desde a Reforma Protestante.

Em 2014, Gene Robinson se divorciou de seu marido e disse que casais heterossexuais e homossexuais têm as “mesmas complicações”.

 

Fontes:
BBC-2003: Anglican church approves gay bishop
BBC-Ordenação de bispo gay divide Igreja Anglicana dos EUA
The Guardian-First openly gay bishop Gene Robinson announces divorce from husband

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Roberto1776 disse:

    Não entendo os cristãos. O Cristianismo não tolera homossexualismo tanto quanto os islamitas, muçulmanos ou seja o nome que eles têm. Desligar-se do cristianismo é a coisa mais fácil que existe. Basta ver as suas suspeitosíssimas origens. Por que alguns, cujas caraterísticas e comportamentos não tem nada a ver com esta crença, insistem tanto a ponto de se tornarem clérigos? Impossível entender.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *