Início » Nesta Data » Rendição do Japão
Nesta data

Rendição do Japão

No dia 27 de agosto de 1945, os aliados começaram a ocupar o Japão

Rendição do Japão
Tropas aliadas marchando no país. A rendição do Japão foi anunciada ao mundo pelo presidente norte-americano Henry S. Truman depois deste ter recebido uma resposta oficial de Tóquio (Wikipedia)

Há 70 anos o Japão iniciava o processo de rendição incondicional ao fim da II Guerra Mundial para os aliados: União Soviética, Estados Unidos, Império Britânico e China. Para muitos historiadores, o comunicado da decisão japonesa, no dia 11 de agosto, dias após os bombardeios atômicos, representou o final simbólico do conflito. Após o anuncio da rendição japonesa no rádio, as tropas aliadas começaram a ocupar o país no dia 27 de agosto de 1945.

A desistência do Japão foi anunciada ao mundo pelo presidente norte-americano Henry S. Truman depois deste ter recebido uma resposta oficial de Tóquio. Convocando jornalistas ao seu gabinete, Truman declarou: “Foi recebida, hoje à tarde, uma mensagem do governo japonês em resposta à mensagem enviada a esse governo em 11 de agosto. Considero essa resposta como uma aceitação plena da Declaração de Potsdam, que especifica a rendição incondicional do Japão. Na resposta, não há reservas”.

No Japão, foi a primeira vez na história do país que um imperador dirigiu sua palavra à nação pelo rádio. No comunicado, o imperador Michinomiya Hirohito informou que a situação mundial o obrigou a negociar com o inimigo, recorrendo à medida extraordinária da rendição. Em seguida, disse que declarou guerra aos Estados Unidos e à Grã-Bretanha para garantir a estabilidade da Ásia Oriental. De acordo com o imperador, jamais foi intenção do Japão intrometer-se na soberania das outras nações ou que o seu país tivesse alimentado desejos de expansão territorial.

Em 2 de setembro de 1945, a bordo do navio norte-americano USS Missouri, na Baía de Tóquio, o Japão assinava formalmente sua rendição, oficializando o fim da guerra.

A rendição japonesa e a bomba atômica

Os historiadores divergem a respeito da influência e necessidade do bombardeio atômico realizado pelos Estados Unidos nas cidades de Hiroshima e Nagasaki, em seis e oito de agosto de 1945, para a derrota e rendição do Japão. Enquanto alguns atestam que o lançamento das bombas foi a principal razão para o país se render, outros argumentam que, quando as bombas foram lançadas, grande parte das forças militares japonesas já haviam sido derrotadas e isoladas, e que o Japão já não representava perigo aos aliados. Dessa forma, as bombas atômicas teriam sido uma estratégia para intimidar a URSS, cuja influência no cenário mundial começava a rivalizar com a dos EUA. Dessa rivalidade, emergiria a Guerra Fria.

Fontes:
JBlog- O Japão se rende na II Guerra Mundial

3 Opiniões

  1. Nicolau disse:

    Os assassinos atômicos americanos devem ser condenados num Tribunal Internacional! Nunca esquecer Hiroshima e Nagasaki!

  2. Markut disse:

    Sem desdouro ao gênio militar do gen. Mac Arthur, pensar nessa hipótese da rivalidade entre as grandes potências não creio que seja uma teoria conspiratória ,propriamente dita.

    O caminhar da humanidade, ao longo da sua história , só confirma esse pétreo viés da natureza humana.

    Talvez, fosse o caso de rememorar o capítulo “A Arte de Semear Discórdias”, do filósofo chinês Sun Tzu em sua obra “A Arte da Guerra”., o que , talvez, calce que nem uma luva, no episódio da Guerra Fria..

  3. Regina Caldas disse:

    A vitória norte-americana sobre o expansionismo japonês só foi possível graças ao gênio militar do General MacArthur.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *