Início » Nesta Data » Líder da Revolução Mexicana Emiliano Zapata é assassinado
NESTA DATA

Líder da Revolução Mexicana Emiliano Zapata é assassinado

Considerado um dos maiores heróis nacionais do México, Emiliano Zapata foi assassinado em uma emboscada em 10 de abril de 1919

Líder da Revolução Mexicana Emiliano Zapata é assassinado
Zapata viveu em um período de forte concentração fundiária no México (Foto: Wikipedia)

Emiliano Zapata Salazar foi um dos líderes da Revolução Mexicana de 1910 e é considerado até hoje um dos maiores heróis nacionais do México. Ele nasceu em 8 de agosto de 1879, em San Miguel Anenecuilco, um pequeno município do estado de Morelos, região central do México.

Mestiço e filho de camponeses que ganhavam a vida treinando cavalos, Zapata viveu em um período em que a forte concentração fundiária no México deixava muitos camponeses sem terra.

Na época, o ditador Porfírio Diaz havia acabado de chegar ao poder, em 1876, com a promessa de consolidar o capitalismo no México com o apoio de capital estrangeiro.

Porém, a política do governo acabava promovendo uma forte marginalização das camadas mais pobres do país. Isso porque o governo de Diaz beneficiava grandes latifundiários, cujas terras de fazendas avançavam sobre propriedades indígenas e de camponeses.

A família de Zapata não era pobre e conseguia manter seu rancho. O próprio Zapata era conhecido por andar sempre bem vestido. Apesar disso, Zapata era um idealista que não se conformava com o sistema ditatorial de Diaz e nutria o desejo de distribuir terras de latifundiários entre a população mais pobre.

Após aliar-se a indígenas e camponeses, Zapata passou a participar de ações de guerrilha, ocupando e dividindo terras de latifundiários. Foi nessa época que ele fundou o Exército de Libertação do Sul.

Zapata uniu-se ao guerrilheiro do norte Pancho Villa, que comandava o Exército de Libertação do Norte, em 1910, deu início à Revolução do México, que promoveu revoltas pelo país, com uso de força armada.

Ele apoiou  Francisco Madero em sua campanha para tomar o poder de Porfirio Díaz. As agitações culminaram com a renúncia de Díaz, em 1911, e a ascensão de Madeiro, que prometeu a Zapata reforma agrária e eleições para presidente. No entanto, as promessas não saíram do papel e Zapata decidiu derrubar Madero, iniciando uma nova mobilização popular.

Em 1913, Madero foi assassinado por Victoriano Huerta, antigo general porfirista que assumiu o poder anistiando Porfírio Diaz. Villa e Zapata se recusaram a apoiar Huerta e se aliaram a Venustiano Carranza, líder do movimento constitucionalista. Os três promoveram uma campanha contra Huerta, que acabou abandonando o país em 1914, quando Carranza assumiu o governo.

Porém, após chegar ao poder, Carranza aliou-se com o comandante militar Álvaro Obregón e iniciou uma cruzada para conter as guerrilhas de Zapata e Villa, chegando a oferecer uma recompensa pela cabeça de Zapata.

Em 1917, Carranza e Obregón conseguiram derrotar as tropas de Villa, que foi obrigado a retornar para o norte. Com a derrota de Villa, as tropas de Zapata passaram a enfrentar sérios problemas. Limitadas pelas forças de Carranza elas passaram da guerrilha à resistência, concentrando os esforços no estado de Morelos.

Em 10 de abril de 1919, o general Jesus Guajardo marcou um encontro com Zapata na fazenda de Chinameca, em Morelos, fingindo ser simpatizante de sua causa. Porém, ao encontrar Zapata, Guajardo sacou a arma e disparou várias vezes contra o guerrilheiro, levando seu corpo ao seu superior para receber a recompensa, que foi paga pela metade.

Após a morte de Zapata, o Exército de Libertação do Sul desintegrou-se e Obregón depôs Carranza do poder. A sonhada reforma agrária de Zapata veio somente em 1934, realizada pelo presidente Lázaro Cárdenas.

Fontes:
UOL-Emiliano Zapata

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *