Início » Nesta Data » Morre o filósofo alemão Arthur Schopenhauer
NESTA DATA

Morre o filósofo alemão Arthur Schopenhauer

Considerado um dos maiores nomes da filosofia, Arthur Schopenhauer morreu em 21 de setembro de 1860

Morre o filósofo alemão Arthur Schopenhauer
Sua obra mais famosa é ‘O Mundo como Vontade e Representação’ (Foto: dailystormer)

Arthur Schopenhauer foi um renomado filósofo alemão do século XIX, que morreu em 21 de setembro de 1860. Nascido em 22 de fevereiro de 1788, na cidade de Danzig (atual Gdańsk), cidade polonesa que na época vivia sob domínio alemão, ele era membro de uma família abastada. Schopenhauer era filho de um comerciante de sucesso e uma famosa escritora da época chamada Johanna Schopenhauer.

Aos nove anos de idade, Schopenhauer foi para a França estudar francês. Aos 17, ingressou na Faculdade de Comércio de Hamburgo, Alemanha.

Ele trabalhou como ajudante de comércio entre os anos de 1804 e 1805, quando seu pai morreu deixando para ele uma rica herança. O dinheiro permitiu a Schopenhauer se dedicar exclusivamente a suas atividades intelectuais.

Em 1809, ele decidiu estudar medicina na Universidade de Gottingen, se transferindo dois anos depois para a Universidade de Berlim. Após concluir o curso, Schopenhauer voltou a morar com a mãe em Weimar. Foi nessa época que ele conheceu o poeta Wolfgang Goethe, de quem se tornou um amigo próximo.

Em 1819, Schopenhauer publicou o livro “O Mundo como Vontade e Representação”, sua mais famosa obra, considerada fundamental para a compreensão da filosofia.

Em 1820, Schopenhauer passou dar aulas na Universidade de Berlim, rivalizando com outro famoso filósofo e professor: Hegel. Em 1831, ele se mudou para Frankfurt e publicou a obra “Sobre a Vontade na Natureza”. Nessa época, já havia conquistado um público abrangente.

Schopenhauer  passou o resto de sua vida vivendo de forma reservada e isolada. Ele dizia preferir a companhia de seus cachorros à companhia humana. O filósofo morreu em 21 de setembro de 1860, aos 72 anos, vítima de um ataque cardíaco.

Fontes:
UOL-Arthur Schopenhauer

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *