Início » Economia » Internacional » Pearl Harbor: ‘o dia da infâmia’
NESTA DATA

Pearl Harbor: ‘o dia da infâmia’

Em 7 de dezembro de 1941, o Japão atacou Pearl Harbour

Pearl Harbor: ‘o dia da infâmia’
Em duas horas, militares japoneses feriram e mataram 3581 pessoas, destruíram 18 navios e 249 aviões (Foto: Wikimedia)

No dia 7  de dezembro de 1941, o Japão atacou Pearl Harbor, a base naval e quartel-general que os americanos mantinham no Pacífico, no que ficou conhecido pelos americanos como “O dia da infâmia”. Em duas horas, militares japoneses feriram e mataram 3.581 pessoas, destruíram 18 navios e 249 aviões.

No dia seguinte ao ataque, o presidente Franklin Delano Roosevelt declarou o ato dos japoneses uma infâmia e mandou ao Congresso uma declaração de guerra, inserindo o país na Segunda Guerra Mundial. Até hoje não se sabe se os Estados Unidos sabiam ou não do ataque do Japão e permitiram que acontecesse para ter uma desculpa para entrar na guerra.

O Japão era um dos poucos territórios independentes da ação ocidental na década de 1940. Os Estados Unidos embargaram a nação durante a Guerra Sino-Japonesa, quando o Japão invadiu a China. Os EUA suspenderam a venda de aço e petróleo, essenciais para a produção japonesa. A disputa pelo domínio da Ásia criara uma tensão entre o presidente Roosevelt e o Imperador Hiroito. A vontade de domínio sobre a Ásia era a maior das motivações, o que incita a teoria da conspiração.

O historiador americano John Toland é um dos estudiosos que defendem essa tese. Segundo ele, o serviço secreto americano teria interceptado mensagens dos japoneses que falavam sobre o ataque, mas Roosevelt teria visto o ataque como uma oportunidade para fazer a opinião pública se tornar favorável à guerra e à entrada dos EUA no conflito. Toland escreveu dois livros sobre o assunto: “Infamy” e “The Rising Sun: The Decline and Fall of the Japanese Empire”. Este último conta a Guerra do Pacífico do ponto de vista japonês e rendeu ao autor o Prêmio Pulitzer de jornalismo.

Porém, só bons (ou ótimos) motivos não bastam para comprovar uma teoria da conspiração. Não há nenhum indício que possa confirmar que o governo americano sabia do ataque que viria a ocorrer. Mesmo assim, as especulações parecem não ter fim. Outra teoria vê a possibilidade de que a direita americana, que tinha relações com os países do Eixo, tenha criado esse boato para desmoralizar Roosevelt.

Com ou sem conspiração, Pearl Harbor fez os EUA entrarem na guerra. Hoje, a vitória japonesa em Pearl Harbor claramente não foi um bom negócio para o Japão. Poucos anos depois, o desfecho da disputa mundial se deu com o lançamento de duas bombas atômicas sobre  Hiroshima e Nagasaki, nos dias 6 e 9 de agosto de 1945.

Fontes:
Guia do Estudante-Pearl Harbor

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

6 Opiniões

  1. Rogerio Faria disse:

    E agora temos um segundo dia que será marcado pela infâmia: 06/12/2017. O dia que o Pres. Trump anunciou que a capital de Israel é Jerusalém…

  2. Filomeno Viriato disse:

    Bomba simples é esse teu cérebro. Como ousas dizer tal coisa?

  3. ney disse:

    Pedro Ferreira, Lugar onde é queimado urânio ou plutônio fica contaminado por centenas de anos. Qual parte do japão esta contaminado?

  4. Pedro Ferreira disse:

    Desculpem-me, mas os dois comentários abaixo são tão vazios…

  5. ney disse:

    Os americanos nunca lançaram bombas atômicas no japão, aquilo eram bombas simples.

  6. jayme endebo disse:

    Quem semeia o vento colhe a tempestade, nada mais real.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *