Início » Economia » Internacional » Al Shabaab ataca complexo hoteleiro no Quênia
ATENTADO EM NAIRÓBI

Al Shabaab ataca complexo hoteleiro no Quênia

Extremistas detonaram bombas e trocaram tiros com seguranças do complexo hoteleiro Dusit, localizado no norte da capital Nairóbi

Al Shabaab ataca complexo hoteleiro no Quênia
Ainda não há relatos de mortos no ataque (Foto: Twitter/Ali Abdiwahab Aden)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O grupo extremista Al Shabaab atacou nesta terça-feira, 15, um complexo hoteleiro localizado no norte da capital queniana Nairóbi. O complexo hoteleiro Dusit – que também abriga escritórios comerciais e bancos – foi alvo de bombas e trocas de tiros foram registradas.

Segundo o chefe de polícia local, Joseph Boinnet, o ataque começou com uma explosão que tinha como alvo o banco I&M. A ação contou com a participação de um homem-bomba. Em seguida, os extremistas trocaram tiros com seguranças locais que tentavam esvaziar o complexo. Além do extremista suicida, ainda não há relatos de mortos no ataque.

O grupo Al Shabaab assumiu a autoria do ataque através de um comunicado de seu porta-voz, Abdiaziz Abu Mus’ab, enviado à rede Al Jazeera. “Estamos, neste momento, conduzindo uma ação em Nairóbi”, disse o porta-voz.

Histórico de ataques no Quênia

O Al Shabaab, cujo nome significa “a juventude” em árabe, é de origem somali e tem ligações com a Al Qaeda. O grupo promove atentados de guerrilha e operações suicidas.

Em 2013, por exemplo, terroristas do Al Shabaab invadiram o shopping de luxo Westgate, em Nairóbi, fuzilaram clientes e detonaram granadas fazendo desabar três andares do prédio. Ao todo, 72 pessoas morreram no ataque.

Em 2015, em um de seus atentados mais mortais, o grupo matou 147 pessoas na Universidade de Garissa, no Quênia. Os terroristas invadiram o complexo estudantil, atirando indiscriminadamente e detonando artefatos explosivos.

As ações do grupo não se limitam ao Quênia. Em 2016, o grupo atacou um restaurante na costa da cidade de Mogadíscio, capital da Somália, deixando 20 mortos, incluindo crianças.

O grupo foi formado na Somália, em 1991, após a queda do ditador Siad Barre – que abriu a disputa pelo poder no país. O grupo prega o wahabismo, a vertente mais radical do islã, atualmente praticada pela Arábia Saudita.

Após um período de expansão, o Al Shabaab passou a sofrer perdas de territórios e integrantes, e intensificou os ataques. Além de tentar mostrar resistência, a estratégia era estimular o preconceito contra somalis no Quênia, para atrair, assim, mais jovens integrantes para o grupo.

Fontes:
Veja-Terroristas atacam complexo hoteleiro no Quênia

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *