Início » Brasil » Ato artístico censurado por Witzel é realizado no meio da rua
RIO DE JANEIRO

Ato artístico censurado por Witzel é realizado no meio da rua

Em protesto contra cancelamento de exposição na Casa França-Brasil, grupo realiza apresentação na calçada em frente ao centro cultural

Ato artístico censurado por Witzel é realizado no meio da rua
Proposta da apresentação, segundo os organizadores, é tecer uma crítica à tortura (Foto: Twitter/Café das 6 RJ)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Artistas do grupo cultural “És uma maluca” realizaram na tarde última segunda-feira, 14, um protesto contra o cancelamento da exposição “Literatura Exposta”, na Casa França-Brasil, um dia antes do previsto, pelo governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.

O pivô do cancelamento foi uma apresentação na qual o grupo fazia uma crítica à tortura. Na apresentação, duas mulheres nuas interagiam com a obra “A voz do ralo é a voz de deus”. A performance foi considerada por Witzel um “descumprimento de contrato” e a exposição foi encerrada no último sábado, 12, um dia antes do previsto.

O curador da exposição, bem como artistas do grupo “És uma maluca” afirmaram se tratar de censura e decidiram realizar a apresentação na rua, em frente à Casa França-Brasil. A apresentação ao ar livre, no entanto, contou com algumas alterações. Em vez de duas artistas, apenas uma interagia com a obra. Além disso, a artista, que inicialmente ficaria nua na exposição, permaneceu vestida, com apenas parte do vestido levantado. Como previsto, ela se deitou ao lado da obra “A voz do ralo é a voz de deus”, representada por um bueiro cheio de baratas que subiam por seu corpo.

A proposta da apresentação, segundo os organizadores, é tecer uma crítica à tortura durante a ditadura. Durante o ato ao ar livre, foram reproduzidas as frases do presidente Jair Bolsonaro (PSL) “As ações de vocês serão tipificadas como terrorismo” e “Pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra”.

O governador Witzel declarou que a exposição foi cancelada devido aos organizadores não terem comunicado que haveria nudez durante a apresentação, o que foi negado pelo curador da exposição, Álvaro Figueiredo. Segundo o curador, o conteúdo da exposição foi informado com antecedência à Casa França-Brasil, que teve como única exigência a restrição da exposição a maiores de 18 anos – determinação que, segundo Figueiredo, foi acatada.

 

Leia mais: Governador do Rio censura exposição na Casa França-Brasil

Fontes:
G1-Performance cancelada pelo Governo do RJ é realizada no meio de rua do Centro

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *