Início » Brasil » Bolsonaro diz que Argentina fez ‘má escolha’ ao eleger Fernández
ELEIÇÕES ARGENTINAS

Bolsonaro diz que Argentina fez ‘má escolha’ ao eleger Fernández

Bolsonaro diz que não pretende parabenizar o presidente eleito pela vitória e torna a ameaçar isolar a Argentina no Mercosul

Bolsonaro diz que Argentina fez ‘má escolha’ ao eleger Fernández
Bolsonaro comentou o resultado do pleito durante sua viagem pela Ásia e Oriente Médio (Foto: Clauber Cleber Caetano/PR)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, 28, que os argentinos fizeram uma “má escolha” ao eleger Alberto Fernández nas eleições do último domingo, 27, e destacou que não pretende parabenizar o presidente eleito pela vitória.

“Lamento, eu não tenho bola de cristal, mas acho que a Argentina escolheu mal. Primeiro ato do Fernández foi já Lula Livre, dizendo que ele está preso injustamente, já disse a que veio”, disse Bolsonaro, ao comentar o resultado do pleito durante sua viagem oficial aos Emirados Árabes Unidos.

Questionado por jornalistas se pretendia parabenizar Fernández pela vitória, o presidente brasileiro disse que não, mas afirmou que não vai se indispor. “Vamos esperar o tempo para ver qual é a posição real dele na política. Ele vai assumir, vai tomar pé do que está acontecendo, e vamos ver qual linha ele vai adotar”, disse o presidente, segundo noticiou a Reuters.

Bolsonaro vinha anunciando sua preferência pela reeleição de Mauricio Macri desde que as pesquisas de intenção de voto na Argentina passaram a apontar para vitória da chapa de Fernández, que tem a ex-presidente Cristina Kirchner como vice.

Em maio, em uma de suas transmissões ao vivo nas redes sociais, Bolsonaro pediu aos argentinos que tivessem “paciência” com Macri e disse que, em caso de vitória da chapa de Fernández, a Argentina iria “se transformar na Venezuela”. Em junho, ele tornou a se posicionar em relação ao pleito no país vizinho, pedindo aos argentinos que votassem “com responsabilidade”.

Já no último dia 23, o presidente ameaçou isolar a Argentina no Mercosul, se Fernández viesse a ser eleito e fechasse a economia de seu país. Na entrevista desta segunda-feira, ele tornou a afirmar que pode isolar a Argentina no bloco econômico.

“Se interferir [no acordo Mercosul-União Europeia], segundo o Paulo Guedes, nós, não digo que sairemos do Mercosul, mas podemos juntar ali Paraguai, não sei o que vai acontecer nas eleições do Uruguai, e decidirmos se a Argentina fere alguma cláusula do acordo ou não. Se ferir, podemos afastar a Argentina, mas a gente espera que nada disso seja necessário fazer. Espero que a Argentina não queira, na questão comercial, mudar o seu rumo”, disse Bolsonaro.

Diferentemente de Bolsonaro, Macri adotou um tom conciliatório em relação ao resultado do pleito. Ele reconheceu a derrota, parabenizou Fernández pela vitória e se comprometeu com uma transição ordenada de governo.

“Quero parabenizar o presidente eleito, Alberto Fernández, acabo de falar com ele, pela grande eleição. O convidei para tomar café na Casa Rosada [sede do governo argentino] amanhã, para começar um período de transição ordenada. A única coisa que importa é o futuro dos argentinos”, disse Macri.

A relação com a Argentina é crucial para o Brasil. O país vizinho é o terceiro maior parceiro comercial do Brasil, atrás apenas da China e dos EUA. Por conta disso, a forma como Bolsonaro pretende se relacionar com o novo governo se transformou num ponto sensível na política externa do Brasil. No momento, há dois cenários possíveis: Bolsonaro pode se voltar à ideologia, alienando um parceiro importante; ou pode adotar uma postura pragmática em relação ao governo Fernández.

Fontes:
Reuters-Bolsonaro lamenta vitória de Fernández na Argentina e diz que não irá parabenizá-lo
Congresso em Foco-Bolsonaro diz que argentinos escolheram mal nas eleições presidenciais

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Almanakut Brasil disse:

    É preciso esperar para ver o que irá acontecer, porque só um governo de burros, incompetentes e desqualificados vai querer desestabilizar o continente e afundar mais seus país, em prol de uma ideologia do Diabo.

    Porém, se acontecer algo parecido como na Venezuela, que venha a fazer com que milhares de “coitadinhos” atravessem a nossa fronteira, que as pilantrONGs não venham com mimimi, não irem para o mesmo buraco.

  2. Roberto Henry Ebelt disse:

    Amada Argentina, infelizmente, continua presa a um passado há muito desaparecido e, como um cão, volta ao seu vômito e se prepara para comer suas próprias fezes.

  3. E. Coelho disse:

    Perdeu. Sim, o Presidente JB perdeu mais uma oportunidade de ficar calado.

  4. Rogerio Faria disse:

    O peronismo com todos os seus defeito sempre foi um regime democrático.Diferente bolsonarismo que é antidemocrático,admira torturadores e criminosos milicianos, incita a intolerância política-religiosa, é racista e misógeno.
    Se o homem pode produzir esgoto com alta “octanagem”, essa produção chama-se bolsonarismo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *