Início » Brasil » Filho coloca deputada Flordelis como suspeita na morte do marido
EM DEPOIMENTO

Filho coloca deputada Flordelis como suspeita na morte do marido

Em depoimento, jovem diz que mãe e irmãs colocavam remédio na comida do pai, o pastor Anderson do Carmo, executado a tiros no último domingo, 16

Filho coloca deputada Flordelis como suspeita na morte do marido
Jovem disse à polícia que uma das irmãs ofereceu R$ 10 mil para outro irmão matar o pastor (Foto: Facebook)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um dos filhos da deputada Flordelis (PSD-RJ) colocou a mãe e três irmãs como suspeitas de envolvimento na morte do pai, o pastor Anderson do Carmo, executado a tiros no último domingo, 16, na garagem da própria casa, no bairro de Pendotiba, em Niterói, município da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Em depoimento dado à Polícia Civil na última quinta-feira, 20, o jovem – que não teve a identidade revelada – disse que a mãe e três irmãs costumavam colocar remédio na comida do pai e que isso seria a causa dos problemas de saúde do pastor. Ele também apresentou à polícia uma ameaça de morte recebida pelo pastor em fevereiro.

O jovem afirmou que uma das irmãs ofereceu R$ 10 mil ao irmão Lucas – que teve a prisão temporária decretada na quinta-feira – para matar Anderson do Carmo. Lucas não estava na casa no momento do assassinato, mas teria comprado a arma usada no crime.

No depoimento, o jovem disse não ter escutado confusão, barulho ou som de moto em fuga após a execução. Ele disse ter visto o irmão Flávio – que também foi preso na quinta-feira – na garagem, ao lado do corpo ensanguentado do pai. De acordo com o jovem, Flávio confessou ter dado seis tiros em Anderson do Carmo e recolheu uma mochila de couro e o celular do pastor. Segundo o jovem, o aparelho foi entregue à mãe, Flordelis.

Em outro trecho do depoimento, o jovem disse ter escutado a mãe dizer em uma ocasião que “a hora do pai estava chegando”. Ele classificou “teatro” o comportamento desesperado dos parentes no velório de Anderson do Carmo.

Os agentes ainda não localizaram a mochila e os aparelhos celulares do pastor, da deputada Flordelis e de Flávio.

Entenda o caso

O pastor Anderson do Carmo foi morto na madrugada do último domingo, após retornar de uma confraternização com amigos no bairro de São Francisco, em Niterói.

Segundo familiares, durante a volta, a deputada percebeu que o carro dirigido pelo pastor estava sendo seguido por duas motos. Após o casal chegar em casa, em Pendotiba, por volta das quatro horas da manhã, Anderson do Carmo retornou à garagem para buscar algo que havia esquecido no carro. Ao chegar na garagem, ele foi morto a tiros.

Após uma acareação entre Lucas e Flávio, a Polícia Civil solicitou a prisão temporária de ambos, pedido que foi acatado pela Justiça. Em suas primeiras declarações sobre o caso, Flordelis creditou o assassinato à violência e refutou a ideia de envolvimento dos filhos no crime.

Porém, a hipótese de latrocínio foi descartada pelos investigadores, uma vez que imagens coletadas em câmeras de segurança não mostraram nenhum suspeito entrando ou saindo do imóvel. Além disso, os cachorros do casal não fizeram nenhum barulho sinalizando invasão, o que reforça a hipótese de o autor do crime ser alguém conhecido.

Anderson do Carmo e Flordelis eram casados há 25 anos e tinham 55 filhos, sendo quatro biológicos e 51 adotados. O pastor ficou conhecido na região onde atuava na década de 1990, por conta do trabalho social que desenvolvia.

Nos últimos anos, Anderson do Carmo atuava como pastor do Ministério Flordelis – Cidade do Fogo, localizado em São Gonçalo. Além disso, atuava como uma espécie de assessor informal da deputada, que nas últimas eleições foi a quinta mais votada no estado do Rio. Nos bastidores, o casal discutia a possibilidade de Flordelis se candidatar à prefeita de São Gonçalo em 2022. Também era discutida a possibilidade de Anderson do Carmo se lançar na disputa pelo cargo.

Fontes:
G1-Filho da deputada Flordelis diz que irmã ofereceu R$ 10 mil para outro irmão matar o pai

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *