Início » Internacional » Espanha vai retirar restos mortais de Franco de mausoléu
AUTORIZAÇÃO DA JUSTIÇA

Espanha vai retirar restos mortais de Franco de mausoléu

Restos mortais do ditador serão removidos do Vale dos Caídos – mausoléu do Estado onde estão cerca de 34 mil mortos em decorrência da Guerra Civil Espanhola

Espanha vai retirar restos mortais de Franco de mausoléu
‘Um ditador não poder ter uma tumba de Estado em uma democracia’, disse vice-chefe do governo (Foto: Twitter/Podem Montcada)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O Supremo Tribunal da Espanha autorizou nesta terça-feira, 24, a retirada dos restos mortais do ditador Francisco Franco do Vale dos Caídos – um mausoléu do Estado onde estão enterrados cerca de 34 mil mortos em decorrência da Guerra Civil Espanhola.

Segundo o Guardian, a decisão foi tomada por unanimidade pelos seis membros da corte. Os restos mortais de Franco devem ser levados para o cemitério de El Pardo, nos arredores de Madrid, onde está enterrada a esposa do ditador.

A medida pode encerrar uma controvérsia de décadas em relação ao local onde os restos mortais de Franco deveriam ficar. Há anos há uma pressão no país pela transferência, uma vez que o mausoléu foi erguido exclusivamente para os mortos na guerra civil do país – e Franco, morto em novembro de 1975, em decorrência de problemas de saúde, não é um deles.

A transferência se tornou uma das prioridades do governo do primeiro-ministro Pedro Sánchez, do Partido Socialista, desde que ele ascendeu ao cargo no ano passado. A remoção foi destacada em agosto do ano passado, pela vice-chefe do governo, Carmen Calvo, que afirmou na ocasião que “apenas os restos mortais de pessoas que morreram em resultado da Guerra Civil Espanhola ficarão no Vale dos Caídos”. “Um ditador não poder ter uma tumba de Estado em uma democracia consolidada como a espanhola. É incompatível”, disse Carmen Calvo.

Além da questão moral destacada por Calvo, havia a preocupação em torno de o mausoléu ter se transformado em um local de peregrinação de simpatizantes da ditadura espanhola. A memória do fascismo durante o regime de Francisco Franco assombra a Espanha, e contribui para fazer do país um terreno infértil para a ascensão da extrema-direita observada em outros países.

Francisco Franco governou a Espanha de 1939, após o fim da Guerra Civil espanhola, até sua morte, em 1975. Após a morte de Franco, foi iniciado o processo de retomada da democracia. Durante a gestão de Franco, cerca de 500 mil pessoas perderam a vida em decorrência de seu regime.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Roberto Henry Ebelt disse:

    Quantos teriam sido assassinados em uma Espanha comunista,entre 1939 e 1975, levando em conta o que aconteceu no mundo socialista de 1917 a 1989?

  2. Rogerio de Oliveira Faria disse:

    Quero ver um mausoléu do Estado deste tipo, quando Adélio Bispo dos Santos morrer.
    Um dia será herói nacional.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *